Como foi o mês de Setembro no Brasil e no mundo?

Em setembro experimentamos características das quatro estações do ano em único mês! Frio, calor, tempo seco e temporais marcaram esse mês no Brasil. No cenário internacional, a intensa atividade de furacões, tufões e tempestades tropicais foi o principal destaque do mês.

Paola Bueno Paola Bueno 02 Out. 2018 - 05:37 UTC
Setembro é um mês de transição, ainda apresentando características de inverno, mas já trazendo as chuvas e temperaturas quentes da primavera.

O mês de setembro é dado como um mês de transição, já que nele encerramos o inverno e iniciamos a primavera do hemisfério sul. Nesse ano essa característica transitória foi bem evidenciada, já que experimentamos todas as estações em um único mês. Temperaturas frias de inverno, calor de 40°C, tempo seco e tempestades severas marcaram o último mês de setembro no Brasil!

No início do mês experimentamos uma última onda de frio, um último suspiro do inverno. Os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Minas Gerais registraram temperaturas baixas típicas de inverno na 1° semana, inclusive com o registro de geada nas regiões serranas. A frente fria responsável pela queda das temperaturas também gerou grandes acumulados de chuva, principalmente nos estados do Sul.

Esse início de mês também foi marcado por chuvas intensas em cidades no Norte do Brasil. Entre os dias 03 e 08/09 fortes ventos e tempestades severas causaram grandes prejuízos nas capitais Manaus, Belém e Boa Vista. Esses grandes acumulados de precipitação fizeram com que grande parte da região Norte fechasse o mês com chuvas acima da média climatológica, com exceção do estado do Acre e parte do Amazonas.

Anomalias de precipitação e de temperatura máxima para o mês de setembro de 2018. Fonte: CPTEC.

O Sul do Brasil também fechou o mês com mais chuvas que o normal. Muitas dessas chuvas vieram em forma de tempestades severas, como as ocorridas na última semana do mês nas cidades do Rio Grande do Sul, que causaram grandes prejuízos à população gaúcha. Fortes temporais com granizo também foram registrados nos estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais e São Paulo ao longo do mês.

Apesar das temperaturas baixas do início do mês, as temperaturas mais quentes tiveram maior destaque no cenário nacional. Grande parte do país experimentou um setembro um pouco mais quente que o normal, principalmente a região Nordeste. Algumas localidades do Centro-Oeste registraram temperaturas de até 40°C! As altas temperaturas associadas a umidade relativa baixa foram responsáveis pela ocorrência de queimadas e incêndios florestais em Goiás e Mato Grosso do Sul.

E o que ocorreu no mundo?

Setembro também foi um mês intenso ao redor do mundo. O que mais chamou a atenção foi a formação de diversos furacões, tempestades tropicais e tufões. No Oceano Atlântico, ao contrário do que foi o mês de agosto, setembro teve uma atividade de furacões bem intensa. Observamos a formação do gigante furacão Florence, o mais intenso e devastador dessa temporada, os furacões Helene, Issac, e as tempestades tropicais Gordon, Joyce, Kirk e Leslie.

A imagem de satélite mostra a ocorrência simultânea dos furacões Florence, Isaac e Helene no dia 09 de setembro. Fonte: Earth/NASA.

No Oceano Pacífico atuaram os furacões Miriam, Norman, Olivia, a tempestade Paul e, atualmente, o furacão Rosa e a tempestade tropical Sergio, próximo à costa oeste do México. E, no outro lado do Pacífico, os tufões Jebi e Mangkhut, ambos de categoria 5, deixaram dezenas e mortos e centenas de feridos no Japão e nas Filipinas, respectivamente. E na última semana do mês formaram-se os tufões Trami (que atingiu o Japão no dia 30) e Kong-Rey.

Publicidade