StoreWindows10

As ondas de frio no Brasil

Por vezes, durante o inverno, sofremos com dias que são extremamente frios, registrando temperaturas bem abaixo do normal, causando grandes prejuízos para a população e a produção agrícola do país. Esses episódios caracterizam as ondas de frio no Brasil.

Paola Bueno Paola Bueno 22 Maio 2018 - 11:10 UTC
As ondas de frio costumam causar grandes transtornos devido a ocorrência consecutiva de dias com temperaturas abaixo da média.

Durante o inverno, as regiões mais ao sul da América do Sul, como as regiões Sul e Sudeste do Brasil, sofrem com fortes quedas da temperatura do ar, principalmente devido a passagem de frentes frias. Às vezes, a intensa massa de ar frio trazida por essas frentes frias tende a persistir por vários dias consecutivos, caracterizando uma onda de frio.

As ondas de frio são caracterizadas por uma sequência de dias em que a temperatura do ar fica menor do que o normal esperado, causando diversos impactos à sociedade, como o agravamento de doenças respiratórias, o aumento de casos de hipotermia e os danos causados a agricultura devido a ocorrência de geadas. Essas ondas de frio são mais frequentes durante os meses de maio a setembro nas regiões Sul e Sudeste do Brasil.

Os episódios de ondas de frio estão associados principalmente ao transporte de ar frio vindo de regiões mais ao sul e ao resfriamento radiativo que ocorre na superfície durante a noite. Geralmente, a ocorrência desses eventos está associada a passagem de uma frente fria e a atuação do seu anticiclone associado, a chamada alta pós-frontal. A combinação do ciclone associado a frente fria com a circulação da alta pós-frontal gera um intenso escoamento de sul, responsável pela incursão da massa de ar polar nas regiões subtropicais do Brasil.

A onda de frio de 1975 ocasionou um impressionante e raro episódio de neve na cidade de Curitiba. Fonte: Gazeta do Povo.

Algumas vezes, esse escoamento é tão intenso que, com a ajuda da cordilheira dos Andes que canaliza esse escoamento, leva o ar polar para as regiões tropicais da América do Sul, como a Amazônia, caracterizando um evento de friagem. Apesar de não serem tão frequentes e tão intensos quanto na Região Sul do Brasil, esses episódios de grande queda de temperatura na região Norte ocorrem com uma frequência de 6 a 7 eventos ao ano, principalmente nos estados do Acre, Rondônia e o sul do estado do Amazonas.

Um episódio de onda de frio que ficou marcado na história do Brasil, foi o ocorrido em julho de 1975. Praticamente toda plantação de café do estado do Paraná desse ano, estado que concentrava cerca de 50% da produção nacional naquela época, foi dizimada pelo pior evento de geada negra já ocorrido. Milhares de hectares foram perdidos, ocasionando em um enorme impacto socioeconômico no país.

Diversas regiões do Brasil registraram recordes de temperatura mínima durante esse evento, inclusive na região Norte do país, até mesmo o estado de Roraima, que fica acima da Linha do Equador. Cidades como Curitiba puderam experimentar uma das raras ocorrências de neve.

A primeira onda de frio de 2018

Na madrugada de sexta-feira (18/05) um ciclone se formou na costa da região Sul do Brasil. A partir de sábado esse ciclone se intensificou e sua frente fria associada passou a se deslocar para norte, atingindo as regiões Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. Isso possibilitou a incursão de uma intensa massa de ar polar nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Norte do país.

A primeira onda de frio de 2018 foi responsável por recordes de temperatura em diversas regiões do país. Fonte:Tropical Tidbits.

Em diversas cidades foram registradas as menores temperaturas do ano. No domingo o Instituto Nacional de Meteorologia registrou um recorde de 6.5°C de temperatura mínima e 15.7 °C de máxima em Curitiba. Rio Branco, no Acre, registrou uma temperatura mínima de 18.5 °C. E na madrugada dessa segunda-feira (21/05) algumas cidades de São Paulo e Minas Gerais registraram temperaturas abaixo de zero e a ocorrência de geada.

Publicidade