Ciclone Seroja deixa rastro de destruição no oeste da Austrália

O ciclone tropical Seroja atingiu o estado da Austrália Ocidental com categoria 3 na noite desse domingo (11), percorrendo um trecho de 1 000 km pelo interior do estado, deixando um rastro de destruição e milhares de pessoas sem eletricidade.

Ciclone Seroja
Imagem de satélite do momento em que o Ciclone Tropical Seroja atingiu a costa oeste da Austrália no domingo (11). Foto: NASA.

O ciclone tropical Seroja atingiu a costa da Austrália Ocidental por volta das 20h, hora local, entre as cidades de Kalbarri e Geraldton, com intensidade de um ciclone tropical de categoria 3! Ciclones com esse nível de intensidade raramente viajam tão ao sul da Austrália e cidades fora da região de passagem de ciclones geralmente não possuem a estrutura necessária para suportar condições tão extremas.

O Ciclone Tropical Seroja atingiu o estado da Austrália Ocidental no domingo com rajadas de até 170 km/h, a força de um ciclone categoria 3!

A maioria dos ciclones tropicais geralmente atingem o norte do estado da Austrália Ocidental, porém já ocorreram algumas vezes deles viajarem mais a sul, como foi o caso de Seroja. De acordo com Jonathan Nott, um professor de geografia da Universidade James Cook que reconstrói dados de eventos naturais extremos para o passado distante, ciclones com a intensidade de Seroja, ou superior, cruzaram a costa na região de Kalbarri apenas 26 vezes nos últimos 5 mil anos. Nott acredita que essas ocorrências podem se tornar mais comuns com as mudanças climáticas.

Na pequena cidade costeira turística de Kalbarri, com apenas 1 350 habitantes, fortes rajadas de vento de até 170 km/h destruíram casas, derrubaram árvores e espalharam destroços por toda cidade. De acordo com estimativa das autoridades locais, 70% dos edifícios e construções da cidade foram danificadas pela passagem do ciclone, cerca de 40% das propriedades atingidas sofreram danos grandes ou até mesmo perda total. Várias casas tiveram seus telhados arrancados pelos ventos, o fornecimento de energia foi interrompido e as ruas ficaram bloqueadas por árvores caídas e destroços. Não houve relatos de mortes ou de pessoas gravemente feridas.

O ciclone foi se enfraquecendo à medida que viajava pelo interior do continente na segunda-feira (12), sendo rebaixado para uma baixa tropical. Mesmo com sua desintensificação, várias cidades no sudeste do estado permaneceram sob “alerta vermelho” e as pessoas foram aconselhadas a se abrigar. O ex-ciclone tropical, após varrer 1 000 km do centro-oeste da Austrália Ocidental, retornou ao Oceano Índico na costa da cidade de Esperance, no sul do estado.

Lembrando que esse foi o mesmo ciclone que causou grandes estragos nas ilhas da Indonésia e de Timor-Leste no início da semana passada, onde seus ventos fortes e chuvas torrenciais provocaram inundações e deslizamentos de terra. Pelo menos 174 pessoas morreram e dezenas continuam desaparecidas nessas ilhas.

Após atingir as ilhas, o ciclone traçou rota em direção a Austrália, no caminho ele interagiu com uma outra baixa tropical, o ciclone Odette, num fenômeno conhecido como efeito Fujiwhara! De acordo com a agência meteorológica australiana, Bureau of Meteorology, o último ciclone comparável a Seroja que atingiu essa região tão a sul da Austrália Ocidental ocorreu em 1956!