tempo.com

Onda de calor histórica e precoce atinge a Europa! Mas, qual a razão?

Nos últimos dias grande parte da Europa vivenciou uma onda de calor extremamente precoce e intensa, que fez os termômetros chegarem a 40°C antes mesmo do início do verão! Eventos como este eram esperados para décadas à frente, devido ao efeito das mudanças climáticas!

Onda de calor Europa
Os termômetros ultrapassaram a marca dos 40°C em diversas partes da Europa no último final de semana. Algo extremamente incomum de ocorrer antes do solstício de verão do Hemisfério Norte.

Uma intensa e histórica onda de calor fora de época tem aflingido grande parte da Europa nos últimos dias, com muitos lugares registrando temperaturas absurdas de 40°C! Lembrando que hoje ocorre o solstício de verão do Hemisfério Norte, o início oficial do verão boreal, e temperaturas como essa são registradas somente no ápice do verão europeu, entre meados de julho e agosto!

Em diversas partes da Europa, principalmente na França e Espanha, a onda de calor elevou os termômetros cerca de 10°C acima da média esperada para junho. Este evento é um dos mais severos antes do solstício de verão.

No sudoeste da França, os termômetros chegaram a picos de 42 e 43°C. Para quase três quartos da população do país, cerca de 45 milhões de pessoas, foram emitidos alertas vermelho ou laranja de calor, sendo cancelados todos os eventos festivos, esportivos e culturais do país para proteger a população. No sábado (18) a cidade de Biarritz, no sudoeste do país, quebrou seu recorde absoluto de temperatura quando os termômetros marcaram 42.9°C!

Na Espanha, o forte calor combinado com a seca que assola o país resultou em vários incêndios. O fogo já queimou cerca de 20 mil hectares de terra e forçou a evacuação de dezenas de vilarejos. As altas temperaturas, que chegaram a 44°C em cidades do sul do país, foram responsáveis pela morte de centenas de filhotes de pássaros andorinhões, uma espécie protegida.

Na Alemanha, os incêndios e altas temperaturas também se destacaram nesse final de semana. Uma temperatura de 39.2°C foi observada em Cottbus, na Alemanha, 0.4°C acima do antigo recorde de junho, estabelecendo novo recorde absoluto desde 1888. A onda de calor também atingiu a Itália, partes do Reino Unido, Áustria, Suíça, Hungria, Croácia, República Tcheca e Polônia.

Por que tanto calor?

Um intenso sistema de alta pressão, centrado sobre o Mediterrâneo, foi o principal responsável por empurrar uma massa de ar extremamente quente do norte da África para o interior da Europa. Essa alta pressão ao se intensificar, somada às condições secas já existentes em grande parte do continente europeu, fez com que as temperaturas se elevassem cada vez mais durante o final de semana.

A alta pressão foi consequência de um comportamento extremamente ondulatório dos jatos de altos níveis, que resultou numa ampla crista sobre a Europa. Esses padrões de ondas, as chamadas ondas de Rossby, ocorrem naturalmente sobre os jatos de altos níveis. Porém, quando perturbações ocorrem no sistema climático, sejam elas de origem tropical ou não, e chegam a esse escoamento, as ondas se amplificam, amplificando os cavados e cristas, e alterando a intensidade dos sistemas de baixa e alta pressão. Por isso, esses padrões ondulatórios anômalos em altos níveis são muitas vezes os responsáveis por extremos climáticos, como esta onda de calor.

Um vislumbre do futuro

Especialistas alertam que a onda de calor antecipada vivenciada pela Europa é uma amostra do que será comum no futuro, devido aos efeitos das mudanças climáticas. Diversos relatórios do IPCC já alertaram que o aumento da temperatura do planeta tem acarretado num aumento da intensidade, frequência e duração dos eventos climáticos extremos. E isso poderá piorar nos próximos anos se não conseguirmos limitar o aquecimento do planeta!

Curiosamente, uma previsão do tempo feita em 2014, simulando as previsões de temperatura para o ano de 2050, acabou acertando suas previsões em 2022! No vídeo, feito para alertar sobre a crise climática e seus impactos sobre a França, a apresentadora alerta para temperaturas chegando a 43ºC no sul do país em agosto de 2050. O que ninguém esperava era que, infelizmente, essa projeção iria se concretizar tão cedo, em junho de 2022.