Chuvas diminuem no Brasil Central e volta a fazer muito calor no Sul

Apesar da formação de regiões de cavado sobre o leste do Sudeste, o afastamento da frente fria contribui para chuvas mais isoladas no Brasil Central. Já no Sul, o destaque é o aumento das temperaturas nos próximos dias.

Tiago Robles Tiago Robles 12 Fev. 2020 - 23:28 UTC
Chuvas isoladas
Chuvas diminuem no Brasil Central, mas ainda há potencial para temporais e transtornos no leste do Sudeste. Destaque também para o calor na Região Sul.

O desenvolvimento de uma baixa pressão e de um sistema frontal ao leste da Região Sudeste, contribuíram a a atuação de uma zona de convergência sobre o Brasil Central. No entanto, os volumes mais expressivos ocorreram sobre a metade sul de Minas Gerais de no máximo 60 mm, mas não apresentando uma distribuição homogênea e sim um padrão de chuvas isoladas.

Essa má distribuição das chuvas, mesmo com a atuação de uma zona de convergência, pode ser explicada pela presença de uma região cavado sobre a porção mais a oeste da Região Sul, o que proporcionou o enfraquecimento do escoamento em baixos níveis. No entanto, a formação de uma baixa pressão favoreceu pancadas mais intensas na noite desta quarta-feira (12) no leste do Mato Grosso e no Tocantins.

Destaques e alertas até o fim da semana

Nesta quinta-feira (13), uma pequena região de baixa pressão favorece o desenvolvimento de instabilidades e há alerta de chuvas torrenciais entre a madrugada e o início da manhã sobre o Rio de Janeiro e áreas mais ao leste do sul de Minas Gerais. No entanto, temporais isolados podem ocorrer na região metropolitana de Belo Horizonte. No decorrer da manhã as chuvas diminuem de intensidade nessas áreas e passa a chover com fraca a moderada intensidade no centro-sul e oeste mineiro, em Goiás, no Mato Grosso e norte do Mato Grosso do Sul. Chove de maneira mais fraca e isolada no norte e leste de São Paulo. Devido a circulação dos ventos, o tempo fica mais fechado na porção norte do leste de Santa Catarina e no leste do Paraná, com previsão de chuva fraca.

Na parte da tarde, a nebulosidade continua no Centro-Oeste, Sudeste e parte mais ao leste da Região Sul. Com o afastamento do sistema frontal e da baixa pressão próximo a costa do Sudeste, as chuvas ocorrem na forma de pancadas isoladas. Assim, há alerta para temporais localizados na Grande BH, na região serrana do Rio de Janeiro, em Goiás, na metade sul do Mato Grosso e no nordeste do Mato Grosso do Sul. Em relação às temperaturas, destaque para o Rio Grande do Sul, onde as máximas podem atingir os 35°C na região central e os 33°C na região metropolitana de Porto Alegre.

Na sexta-feira (18), o sistema de baixa pressão já se encontra bastante afastado no oceano, o que diminui o potencial para chuvas no Brasil Central e principalmente no Sudeste. Pela manhã, o tempo firme predomina e o sol aparece entre nuvens desde o Mato Grosso até o Rio de Janeiro. Na parte da tarde, devido ao umidade remanescente e o aumento das temperaturas, pancadas isoladas podem atingir o centro-sul e oeste de Minas Gerais, o centro-norte de Goiás, o norte do Mato Grosso do Sul e o Mato Grosso. No Espírito Santo, há risco para temporais isolados.

No Sul, o tempo firme predomina em boa parte da Região. Devido a circulação dos ventos, o leste de Santa Catarina e do Paraná, mas não há previsão de chuva. Já no Rio Grande do Sul, há alto risco de temporais no Oeste, Campanha e Sul na parte da tarde, devido a atuação de uma frente fria, que não consegue avançar muito ao longo do dia. Destaque para o calor e sensação de abafamento para toda a Região Sul.

Publicidade