Show your stripes: um alerta às mudanças climáticas globais

Na sexta-feira meteorologistas do mundo inteiro se uniram pela iniciativa #ShowyourStripes (#MostresuasListras), onde cada um mostrou ao mundo as listras referentes a seu país! Entenda mais sobre essa iniciativa e o significado dessas listras!

Paola Bueno Paola Bueno 25 Jun. 2019 - 15:01 UTC
O gráfico de listras do Brasil mostra a tendência de aquecimento do país desde 1901 até 2018. Fonte: showyourstripes.info.

Meteorologistas e outros cientistas do mundo inteiro se uniram na última sexta-feira, dia 21, em pleno solstício de verão/inverno, para divulgar a iniciativa #ShowYourStripes (#MostresuasListras), com o objetivo de conscientizar a população global a respeito das alterações climáticas!

A iniciativa foi levantada pelo cientista climático Ed Hawkins, da Universidade de Reading, no Reino Unido, um dos principais autores do 6° Relatório de Avaliação do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, responsável pelo desenvolvimento do gráfico de listras. Esse gráfico, que parece um código de barras coloridas que vão desde tons mais frios até tons mais quentes, é uma representação visual simples da mudança das temperaturas observadas ao longo últimos 100 anos! No link da campanha é possível encontrar o gráfico de listras referentes a todo o planeta, cada continente e país.

Cada listra se refere a um ano e sua cor representa a anomalia da temperatura média desse ano, ou seja, a diferença da temperatura média registrada naquele ano em relação à temperatura média do período entre 1971 a 2000. A primeira foto desse artigo é o gráfico de listras do Brasil, que começa em 1901 (esquerda) e vai até 2018 (direita). Nesse gráfico fica clara a tendência de aquecimento do Brasil, onde no início do século passado predominavam os anos mais frios e nos últimos anos passamos a registrar anos mais quentes que o normal.

Claro que existem flutuações, como a presença de anos mais quente entre anos frios e vice-versa, que estão ligados a variabilidade natural do clima, associado a ocorrência de padrões de variabilidade climática, como o El Niño-Oscilação Sul (El Niños e La Niñas). Mas a tendência de aquecimento é clara, com a gradativa transição de tons azuis para tons vermelhos ao longo dos anos, com a última década apresentando os anos mais quentes da história. Esse padrão é observado em praticamente todos os países do planeta, conforme mostrado no tweet no próprio Ed Hawkins:

De acordo com a Organização Meteorológica Mundial, os últimos 5 anos (2014 a 2018) foram os cinco mais quentes da história! E o ano de 2019 não deve ficar fora desse ranking, até o momento, 2019 é o terceiro ano mais quente da história, de acordo com a NOAA. O conteúdo de calor do oceano estabeleceu um novo recorde já no início de 2019, com mais calor armazenado nos oceanos do que em qualquer outro momento da história desde o início dos registros em 1940.

O principal objetivo dessa iniciativa é mostrar a população, de uma forma objetiva e simples, que as mudanças climáticas são reais, estamos realmente observando um aquecimento da temperatura do planeta ao longo dos anos. Sabemos que o clima varia naturalmente, mas também sabemos o efeito de injetar toneladas de gases de efeito estufa na atmosfera todos os anos de uma forma não natural. Infelizmente as consequências já são observadas, como as ondas de calor cada vez mais extremas e o acelerado derretimento das calotas polares, e se essa tendência continuar, as consequências serão bem piores no futuro.

Publicidade