Fortes chuvas causam prejuízos no leste da Região Nordeste

As fortes chuvas que tem ocorrido em partes do leste da região Nordeste do Brasil tem trazido grandes prejuízos para algumas cidades. No agreste de Pernambuco, uma barragem chegou a romper devido as chuvas volumosas, deixando milhares de pessoas desalojadas.

Rompimento barragem Pernambuco
A barragem de Guilherme Pontes, em Sairé, Pernambuco, se rompeu nessa segunda-feira (15) devido as fortes chuvas. Foto: Divulgação.

Nos últimos dias cidades do leste da região Nordeste têm recebido grandes volumes de chuva que tem causado transtornos como inundações, alagamentos, deslizamentos de terra e até mesmo rompimento de barragens. Entre os mais afetados estão os estados de Pernambuco, Alagoas e Sergipe.

Na segunda-feira (15) o aumento súbito do volume do rio Sirinhaém, devido às chuvas fortes, fez com que a barragem de Guilherme Pontes, na zona rural de Sairé, agreste pernambucano, acabasse se rompendo. Com o rompimento algumas pontes e casas foram destruídas. A água invadiu parte do município de Sairé, além dos municípios de Barra de Guabiraba e Cortês, localizados ao longo do fluxo do rio. Felizmente não há registros de feridos ou vítimas fatais, mas 2.3 mil pessoas ficaram desalojadas e desabrigadas.

A APAC (Agência Pernambucana de Águas e Clima) informou que Sairé havia registrado um volume de chuvas de 112 mm entre os dias 14 e 15, o que corresponde a 100% do volume total esperado para o mês de junho! Outras cidades de Pernambuco, principalmente no agreste e sertão do estado, também já atingiram ou superaram o volume de chuvas esperados para o mês. Como, por exemplo, a cidade de Tupanatinga que registrou um acumulado de 228.7 mm de chuva entre os dias 1 e 17 de junho, o que representa 256% do acumulado médio esperado no mês.

Em Alagoas as chuvas fortes causaram estragos no norte do estado. No município de Jacuípe o rio Jacuípe transbordou alagando parte da cidade. Entre sábado (13) e domingo (14) as fortes chuvas provocaram alagamentos e quedas de árvores na região metropolitana de Maceió. Uma pessoa morreu e outra ficou ferida na cidade de Rio Largo, quando uma árvore caiu sobre um acampamento. Na cidade de Maceió, foram registrados 110.4 mm de chuva no bairro de Trapiche da Barra no dia 14.

Em Sergipe, as chuvas de sábado provocaram uma erosão na rodovia SE-488, entre as cidades de Umbaúba e Indiaroba, no sul do estado, além de quedas de árvores e destelhamentos na capital Aracaju.

Estação chuvosa do leste da Região Nordeste

Diferentemente de grande parte do Brasil, que durante o trimestre de inverno (meses de junho, julho e agosto) passa por um período com poucas chuvas, as chuvas ocorrem com abundância na faixa leste da região Nordeste, o que caracteriza a estação chuvosa da região.

Nessa faixa que se estende desde o litoral da Bahia até o Rio Grande do Norte, grande parte do acumulado anual de chuvas ocorre entre os meses de maio e julho, devido a atuação de sistemas como as ondas de leste, a Alta Subtropical do Atlântico Sul, que fica mais próxima ao continente nessa época do ano, e as frentes frias que vem do sul.

Confira a previsão para o trimestre de inverno: Como será o próximo trimestre de inverno?

Nesse ano ainda há um outro fator que contribuiu com as chuvas, as águas mais aquecidas que o normal no Atlântico Tropical Sul. Essas águas quentes fornecem mais umidade para a atmosfera, ingrediente essencial para a formação de chuvas. Além disso, o contraste existente entre as temperaturas do Atlântico Tropical Sul e o Atlântico Subtropical contribuem para a que as frentes frias “estacionem” na altura da costa da região Nordeste, gerando bons acumulados de precipitação.