Europa se prepara para histórica onda de calor

A Europa se prepara para receber a primeira onda de calor do verão. As temperaturas podem passar do 40°C em vários países. Na França já se fala de uma situação “potencialmente perigosa”.

Tiago Robles Tiago Robles 24 Jun. 2019 - 20:08 UTC
Onda de calor de 2018 levou as pessoas a se refrescarem nas praças em Madrid na Espanha. Foto: The New Indian Express.

O verão começou no Hemisfério Norte e o mês de Junho está terminando a previsão da chegada de uma grande onda de calor na Europa, onde as temperaturas máximas vão atingir valores bastante elevados em vários países, sendo mais intenso no sudoeste da Europa, principalmente, na Espanha e em Portugal.

O grande responsável por esta primeira grande onda de calor da temporada de verão é um bloqueio atmosférico que irá contribuir para o transporte intenso e por vários dias do calor do norte da África.

O que dizem os meteorologistas europeus?

Os modelos de tempo e clima, já vêm mostrando algum tempo a configuração de bloqueio e o aumento gradativo das temperaturas na Europa. De acordo com o meteorologista e colaborador da ilmeteo.net, Luca Lombroso, "a onda de calor que está por vir será histórica para a França e provavelmente também para algumas áreas do noroeste da Itália. Os valores máximos de temperaturas ainda são difíceis de prever com exatidão, mas podemos esperar condições extremas. O que está claro agora - acrescenta Lombroso - é que esses eventos não são mais a exceção, mas uma das consequências mais óbvias da atual crise climática".

De acordo com Marco Virgilio, também meteorologista e colaborador da ilmeteo.net, “a onda de calor que está prestes a atingir a Europa Ocidental será histórica. Os valores de temperatura que serão atingidos em níveis mais elevados da atmosfera entre a Espanha e o centro-oeste da França são inéditos para o mês de Junho e extremos também para a fase mais quente da temporada de verão. Nessas regiões, as máximas podem chegar aos 43/44°C”.

Francisco Martín é meteorologista e colaborador da tiempo.com e diz: “Por mais de 5 dias podemos estar imersos em valores recordes de temperaturas máximas e mínimas em grande parte da Espanha. Não é de se surpreender que os alertas laranja e vermelho possam ser dados por altas temperaturas extremas, especialmente entre 26 e 30 de Junho. E tudo isso, com uma janela de altas temperaturas máximas desde 23 de Junho”.

Mas o calor intenso não vem sozinho. Martín acrescenta – “além das altas temperaturas, haverá certas condições adicionais que não são as melhores para um "bom clima de verão". Veremos uma entrada de poeira do norte da África, pouca visibilidade devido à turbulência atmosférica, ausência de precipitação, baixa umidade na superfície, altos níveis de risco de incêndio e altos índices de radiação ultravioleta".

Publicidade