tempo.com

Entenda como a neve e monóxido de carbono mataram pessoas no Paquistão

Nevasca é uma notícia bem comum nessa época do ano, mas morte por congelamento ou intoxicação vai deixar você intrigado nessa leitura. Confira o trágico caso no Paquistão.

Pessoas congeladas e intoxicadas na Nevasca do Paquistão

Escrevi há poucos dias sobre a nevasca na capital japonesa, Tóquio, e já apareceu um novo episódio relacionado à neve. E agora é no norte do Paquistão, mas com muito mais transtornos e 21 pessoas mortas, incluindo 10 crianças, congeladas.

Falei no artigo anterior que a neve é encantadora para quem já viu e mais ainda para quem nunca teve essa oportunidade única. E foi com esse pensamento de encantamento que milhares de turistas saíram das suas cidades, estados para apreciar de perto essa beleza natural.

Como aconteceram as mortes?

Milhares de turistas se agitaram para ver a forte nevasca que o Instituto de Meteorologia local anunciou para os primeiros dias de janeiro em Murree, norte do Paquistão, próxima a capital Islamabad, aproximadamente 64,8 km. No entanto, as autoridades proibiram os turistas de visitarem o local, na noite do último sábado.

Filas e mais filas nas estradas de Murree, para ver a nevasca rara, fez com que houvesse engarrafamento e a neve não parou de cair. Várias pessoas morreram congeladas dentro dos seus carros, ou seja, morreram por hipotermia, perda de calor corporal.

Os policiais resgataram turistas e motoristas de pelo menos 24.000 veículos presos pela neve. Todos receberam cobertores e comida, revelou as autoridades.

Parênteses para entender a hipotermia

Para entender melhor sobre a hipotermia e como acontecem os óbitos, nesses casos, conversei com a Dra. Carla Borges, enfermeira e professora do Curso Técnico em Enfermagem do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS). Borges me explicou que em temperaturas muito baixas nosso sistema corpóreo tende a proteger os órgãos internos, mantendo-os aquecidos, porém, mãos, pés, e outras partes do corpo sofrem com a baixa temperatura e tendem a congelar. As pessoas que sofreram de hipotermia podem ter tido, além do congelamento, dificuldade respiratória, parada cardiorrespiratória.

Chocado e chateado com a morte trágica de turistas na estrada para Murree, falou o primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan, no seu twitter.

Entretanto, muitos criticaram o primeiro-ministro, o chamaram de insensível, pois ele declarou que os turistas saem sem verificar as condições meteorológicas em um dia de nevasca forte. Eu concordo com ele, leitor!

Khan ordenou que se instaure um inquérito e implementou uma regulamentação severa para garantir a prevenção de futuras tragédias.

Monóxido de carbono (CO) e a neve, qual a relação?

Autoridades de resgate disseram que as vítimas foram encontradas mortas em seus veículos, congeladas, mas alguns suspeitam que muitas pessoas, tenham morrido de intoxicação por monóxido de carbono, durante a noite.

Os turistas estavam com muito frio, congelando e ligavam seus ares-condicionados. Como o gás não tem cheiro, cor e nem sabor as pessoas vão se intoxicando sem perceber. Por esse motivo o CO é conhecido como um “assassino invisível”!

Pesquisei sobre isso e descobri que o caso não é incomum. Todos os anos há milhares de casos de intoxicação no inverno, especialmente no hemisfério norte. As autoridades recomendam que as pessoas revisem seus aquecedores, devido o acúmulo de neve.

Te aguardo no próximo texto. Saudações Meteorológicas!