tempo.com

Calor extremo: Antártica registra temperaturas 40°C acima do normal!

Uma forte onda de calor fez as temperaturas no leste da Antártica chegarem a valores inimagináveis para essa época do ano. Diversas estações meteorológicas registraram temperaturas 30 a 40°C acima do normal, deixando cientistas do mundo inteiro espantados.

onda de calor Antártica
A porção leste do continente antártico foi impactada por uma onda de calor sem precedentes na semana passada. Imagem: climatereanalyzer.org

O continente mais frio do planeta experimentou uma onda de calor sem precedentes na última semana, quebrando vários recordes de temperatura! Esses recordes foram registrados na parte leste da Antártica, onde as temperaturas chegaram a valores que ficaram 30 a 40°C acima do normal!

Claro que o que é considerado quente sobre as porções mais gélidas do continente mais gelado do mundo é relativo. Durante essa onda de calor, ao invés das temperaturas ficarem entre -45 e -50°C, conforme esperado, elas estiveram entre -18 e -10°C, o que é considerado um calor enorme para a região nessa época do ano.

Este evento é completamente sem precedentes e superou nossas expectativas sobre o sistema climático da Antártica - pesquisador Jonathan Wille ao The Washington Post.

Os recordes de calor chocaram cientistas do mundo inteiro! Stefano Di Battista, pesquisador que já publicou estudos sobre as temperaturas antárticas disse em um tweet que “a climatologia antártica foi reescrita” e acrescentou que, antes desses registros, tais anomalias de temperatura teriam sido consideradas “impossíveis” e “impensáveis”.

A estação meteorológica russa de Vostok, que fica localizada na região central da porção oriental da Antártica, a 1 300 km do Polo Sul e quase 3 500 metros acima do nível do mar, é famosa por manter o recorde de temperatura mais baixa já observada na Terra, com o registro de -89,2 °C em 21 de julho de 1983. Na sexta-feira (18) a temperatura chegou a marca de -17,7 °C na estação, muito acima da temperatura esperada para esse mês de -53°C. Essa é a maior temperatura registrada num mês de março nos 65 anos de história da estação!

Na estação de pesquisa Concordia, a cerca de 563 km do Vostok, a temperatura chegou a -12,2 °C, a mais alta já registrada em qualquer mês do ano! Geralmente, as temperaturas máximas esperadas para a estação nessa época do ano giram em torno de -48,7°C. Em outra estação próxima a temperatura chegou a -10,2°C, cerca de 37°C acima da média.

Essa onda de calor ocorre no período do ano em que as temperaturas do continente antártico geralmente caem rapidamente, com o início do outono austral e a consequente redução das horas de luz solar. Além disso, esses recordes de temperatura ocorreram logo após outro recorde preocupante: no mês passado a camada de gelo da Antártida atingiu sua menor área desde o início das observações por satélite em 1979, registrando uma área menor que 2 milhões de quilômetros quadrados.

Extremos de calor em ambos os pólos!

O mais impressionante é que essas temperaturas recordes na Antártica ocorreram na mesma semana em que uma onda calor excepcional também ocorreu no extremo oposto do planeta, o Ártico! Estações meteorológicas próximas ao Polo Norte registraram temperaturas 30°C acima do normal no meio da semana passada, além de sinais de derretimento de gelo, acontecimentos que geralmente ocorrem muito mais tarde no ano.

Muitos cientistas climáticos chamaram atenção para esses acontecimentos sem precedentes, alertando que ondas de calor em ambos os pólos podem desencadear num colapso climático mais rápido e abrupto do que se esperava, gerando graves consequências para todo mundo. Mark Maslin, professor da University College London, disse ao The Guardian: “ Agora temos temperaturas recordes no Ártico que, para mim, mostram que entramos em uma nova fase extrema das mudanças climáticas muito antes do que esperávamos.”