Semana de calor, chegada de frente fria e alertas de tempo severo

As temperaturas aumentam e a sensação será de bastante calor no início desta semana no Centro-Sul e principalmente no Rio Grande do Sul. Essa condição anuncia a chegada de uma frente fria, que avança pelo Centro-Sul.

Tiago Robles Tiago Robles 13 Jan. 2020 - 12:41 UTC
Frente fria, calor e temporais.
Com a aproximação de uma frente fria as temperaturas aumentam em todo o Centro-Sul. O sistema passa atuar no Sul do Brasil no meio da semana.

Nesta segunda-feira (13), um sistema frontal no oceano na altura dos estado de São Paulo e do Rio de Janeiro, mantém o tempo instável e há previsão de chuvas de fraca a moderada intensidade já pela manhã no Mato Grosso do Sul, norte e noroeste do Paraná, norte e leste paulista, Triângulo Mineiro, sul de Minas Gerais e no Rio de Janeiro. Na parte da tarde, há risco de temporais isolados nessas áreas.

Devido a atuação desse sistema frontal, uma massa de ar mais fria e seca também atua no oceano o que contribui para o tempo mais firme e para a manutenção das temperaturas em praticamente toda a Região Sul. Somente no leste de Santa Catarina e do Paraná há maior concentração de nuvens, mas nada que provoque chuva ou impeça o aparecimento do sol.

Destaque também para o Mato Grosso, Goiás, centro-norte de Minas Gerais, no Espírito Santo, no Tocantins e no interior do Nordeste, onde o tempo firme predomina juntamente com as altas temperaturas, que podem passar facilmente dos 35°C.

O aumento das temperaturas e a chegada da frente fria

Na terça-feira (14), com o afastamento do sistema frontal e o avanço da massa de ar seco, alta pressão no oceano, o potencial para chuvas diminui bastante nas regiões Centro-Oeste e Sudeste e no estado do Paraná. Há previsão de bastante nebulosidade pela manhã desde o sul do Mato Grosso do Sul e norte do Paraná até o sul do Espírito Santo, onde, neste último, há previsão de chuva fraca.

Na parte da tarde sem um fator que organize a umidade, as instabilidades, que se formam na parte da tarde, provocam pancadas de chuvas isoladas e de curta duração nessas áreas. No entanto, não se descarta o potencial para ocorrência de temporais.

Outra condição que muda com o deslocamento da alta pressão é a direção dos ventos, que passam a atuar de norte e nordeste, favorecendo o transporte do ar mais quente do interior do país para o Centro-Sul. No Sudeste as temperaturas ficam mais amenas, já em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, o dia será de abafamento.

Durante a noite, com a aproximação da frente fria os ventos de norte ficam mais intensos e há potencial para transtornos ocasionados pelas rajadas que podem atingir valores em torno de 70 km/h na região central do Rio Grande do Sul.

No início da manhã da quarta-feira (15), temporais já podem atingir as regiões gaúchas do Oeste, Campanha e Sul. No decorrer do período o risco se espalha para a região Central e metropolitana de Porto Alegre, sendo neste último, mais para o fim da manhã e início da tarde. Há possibilidade de pancadas isoladas antes da chegada do sistema no centro-norte do Rio Grande do Sul e no meio-oeste catarinense.

No decorrer da tarde, a frente fria avança provocando temporais e chuvas intensas que trazem potencial para transtornos como alagamentos e problemas causados pelas fortes rajadas de vento. Somente à noite que o sistema chega ao estado de Santa Catarina. Até lá o dia será de bastante em boa parte do Centro-Sul. No Sudeste devido ao aumento da temperaturas e presença de um cavado, há risco de tempestades a partir do meio da tarde no estado de São Paulo, centro-sul de Minas Gerais e no Rio de Janeiro.

Previsão de chegada da frente fria na Região Sudeste, a princípio, somente no fim da tarde da quinta-feira (16). Até lá as temperaturas vão aumentando e a sensação de abafamento se agravando.

Publicidade