tempo.com

Podem as gomas serem feitas a partir de turbinas eólicas? Parece que sim!

Cientistas afirmam que as resinas compostas de turbinas eólicas podem ser recicladas e reutilizadas de diversas formas. Uma delas é a utilização para a produção de doces. Este é um conceito, no mínimo, estranho, mas que logo pode chegar aos supermercados.

gomas
Cientistas descobrem fórmula que possibilita transformar a resina composta das turbinas eólicas em matéria comestível, como as gomas.

Uma pesquisa apresentada no Encontro Internacional da Sociedade Americana de Química (ACS, em inglês), em Chicago, demonstra um novo sistema de resina que pode ser dissolvido e reutilizado, sem perder as suas propriedades iniciais.

Embora a energia eólica seja limpa e renovável, o fato de as turbinas (cuja construção ocorre a partir de fibras de vidro) não serem recicláveis gera um problema quando elas chegam ao fim do ciclo de vida. Geralmente, as pás das turbinas gigantes terminam em aterros sanitários.

Tal como refere Dorgan em uma nota de imprensa ao EurekAlerta, “muitas vezes, os parques eólicos substituem as pás das turbinas antes do fim da vida útil, porque os parques podem gerar mais eletricidade com pás maiores”.

Para resolver o problema, tem se procurado criar pás que possam contribuir para a economia circular, dando uma nova vida a um determinado produto. Neste sentido, os cientistas da Universidade do Estado do Michigan já deram um pequeno passo.

Resina reciclável que pode ser usada para criar pás de turbinas ou doces

O conceito parece, na prática, muito estranho, mas pode estar bem perto de se tornar uma realidade nas prateleiras do supermercado, sob a forma de balas de goma. O que é fato até agora é que esta resina pode ser reciclada e reutilizada de muitas outras formas, como em janelas ou fraldas.

A resina termoplástica, feita a partir de fibra de vidro e de polímeros derivados de plantas e outros sintéticos, é muito forte e durável, assim como os materiais usados nas turbinas atuais. Além disso, as pás das turbinas, ao chegarem ao final do seu ciclo de vida, podem ser aproveitadas para a dissolução da resina e retirada da fibra de vidro. O material pode ser utilizado em novas turbinas, pois, segundo os pesquisadores de Michigan, as suas propriedades físicas se mantêm nas turbinas feitas a partir de novos materiais.

Esta nova resina pode, então, ser transformada em vários produtos depois de derretida. A sua reutilização pode ocorrer em alguns produtos consumíveis, como balas de goma, o que torna este fato ainda mais curioso. E o mais interessante é que estas gomas não diferem daquelas que nós estamos habituados a consumir, segundo os pesquisadores.

Um átomo de carbono derivado de uma planta, como milho, não é diferente de um átomo de carbono de combustível fóssil. Tudo faz parte do ciclo global do carbono e mostramos que podemos passar da biomassa no campo para materiais plásticos duráveis e de volta aos alimentos”, diz Dorgan.

Resina termoplástica: o que é e como pode ser criada?

Ao diluir-se a resina termoplástica em uma solução alcalina, ocorre a liberação de um material acrílico, o qual pode ajudar na produção de janelas. Também há um aumento da temperatura durante o processo, o que possibilita a criação de um material usado em fraldas. Além disso, a solução alcalina libera também lactato de potássio, que pode ser transformado em doces ou bebidas energéticas após a sua purificação.

Depois de se ter validado o material quanto às propriedades necessárias para a sua reutilização, agora o próximo passo será entender na prática de que forma as turbinas podem ser (re)construídas a partir desta nova resina.