Mudanças climáticas e campo magnético da Terra: existe uma relação?

Certas teorias indicam que o campo magnético é, em parte, a causa das mudanças climáticas atuais mas, a ciência investigou e esclareceu essas dúvidas. Te contaremos aqui!

representación campo magnético
A magnetosfera é o nome dado ao campo magnético do nosso planeta. Ele atua como um escudo protetor para a atmosfera contra as partículas de alta energia que chegam do Sol.

O campo magnético da Terra se desloca gradualmente e com intensidade variável. No entanto, há pouca evidência científica de relações significativas entre os pólos magnéticos e o clima.

Por isso, o Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, dedicado às mudanças climáticas, realizou um estudo para comprovar se existe alguma relação.

Se falamos das inversões dos pólos magnéticos, pode-se verificar - graças ao estudo de fósseis de animais e plantas que viviam em nosso planeta durante a última grande inversão - que durou milhares de anos e que não houve grandes mudanças, mesmo as amostras de sedimentos oceânicos daquela época indicando que a atividade glacial se manteve estável. Assim, os registros geológicos e fósseis de inversões anteriores não mostram nada de extraordinário, como possíveis eventos apocalípticos ou grandes extinções.

En cuanto a las excursiones geomagnéticas, similares a las inversiones pero de más corta duración y significativos en la intensidad del campo magnético, não mostram evidências de que o clima da Terra tenha sido significativamente afetado significativamente pelas três últimas excursões do campo magnético, nem por nenhum evento de excursão ocorrido nos últimos 2,8 milhões de anos.

Embora haja alguma evidência de mudanças climáticas regionais durante o período do evento de Laschamps - a última excursão geomagnética - ao analisar os núcleos de gelo da Antártica e Groenlândia, eles não mostram nenhuma mudança importante.

Princípios físicos que não indicam vínculo entre a magnetosfera e a mudança climática

Embora existam correntes eletromagnéticas na parte da atmosfera superior da Terra, a energia que impulsiona o sistema climático nesta área é, em média, uma pequena fração de toda a energia que impulsiona o sistema climático na superfície.

As mudanças na polaridade do campo magnético da Terra não impactariam o clima por uma razão fundamental: o ar não é ferroso.

Porém, poderíamos falar do ferro que circula pela atmosfera em decorrência de erupções vulcânicas ou que provoca atividades antrópicas, sendo fonte de poluição do ar em algumas áreas urbanas, mas, não é um componente significativo de nossa atmosfera e não se conhece qualquer mecanismo físico capaz de conectar as condições climáticas na superfície da Terra com correntes eletromagnéticas no espaço.

Por outro lado, as tempestades solares e suas interações eletromagnéticas impactam apenas a ionosfera da Terra, que se estende da mesosfera até ao espaço, o tendo impacto algum na troposfera ou na estratosfera inferior, onde se origina o clima terrestre.

E qual é o papel do campo magnético?

Nosso planeta é cercado por um grande campo magnético chamado Magnetosfera, que atua como um escudo que protege a atmosfera da radiação, do vento solar e de qualquer partícula de alta energia que vem do Sol.

As forças que geram esse campo magnético estão mudando constantemente e, com isso, os pólos magnéticos da Terra também variam gradualmente de localização, até mesmo revertendo a cada 300.000 anos, aproximadamente.

Devido a essas variações, surgiram algumas teorias afirmando que a magnetosfera contribui para o aquecimento global e pode causar uma mudança climática catastrófica. No entanto, o mundo científico não apoia esta conjectura.

Então, quando falamos em mudança climática, cientificamente não deveria estar relacionado a variações no campo magnético da Terra, então não deveria ser motivo de preocupação quando comparado ao grande número de toneladas de gases de efeito estufa que emitimos em consequência de nossas próprias atividades.