tempo.com

Impressionante: planeta Netuno está esfriando rapidamente

Uma equipe internacional de astrônomos, usando imagens térmicas infravermelhas, detectou uma queda surpreendente na temperatura global de Netuno, seguida por um aquecimento repentino em seu polo sul.

Netuno está esfriando
Um ano em Netuno dura 165 anos terrestres.

Um grupo internacional de cientistas usou poderosos telescópios terrestres para medir as temperaturas da atmosfera de Netuno durante um período de 17 anos. O principal resultado encontrado é que o planeta registrou uma queda surpreendente nas temperaturas globais, seguida de um aquecimento em seu polo sul.

Assim como a Terra, Netuno também apresenta as estações enquanto orbita o Sol. No entanto, uma estação em Netuno dura cerca de 40 anos, e um ano tem 165 anos terrestres. O hemisfério sul de Netuno está no verão desde 2005, e os astrônomos estavam ansiosos para ver como as temperaturas mudaram após o solstício de verão do sul.

Os astrônomos observaram quase 100 imagens térmicas infravermelhas de Netuno, tiradas ao longo de um período de 17 anos, para reconstruir as tendências gerais da temperatura em detalhes.

Netuno está esfriando
A temperatura média global de Netuno caiu 8°C entre 2003 e 2018. Créditos: SO/M. Roman, NAOJ/Subaru/COMICS, via vozpopuli.com

Os dados mostraram que, apesar do início do verão austral em 2005, a maior parte do planeta esfriou gradualmente nas últimas duas décadas. A temperatura média global de Netuno diminuiu 8°C entre 2003 e 2018.

Mas foi ainda mais surpreendente descobrir nas observações dos últimos dois anos um aquecimento impressionante do polo sul do planeta: as temperaturas rapidamente aumentaram 11°C entre 2018 e 2020. Embora o vórtice polar quente de Netuno seja conhecido há muitos anos, um aquecimento polar tão rápido nunca foi observado anteriormente no planeta.

Quais são as causas do resfriamento?

"Nossos dados cobrem menos da metade de uma estação de Netuno, então ninguém esperava ver mudanças grandes e rápidas", disse o co-autor Glenn Orton, pesquisador sênior do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) do Caltech, nos Estados Unidos.

A temperatura média global de Netuno diminuiu 8°C entre 2003 e 2018.

Como as variações de temperatura de Netuno foram tão inesperadas, a equipe ainda não sabe o que pode tê-las causado. Pode ter sido devido a mudanças na química estratosférica, a padrões climáticos aleatórios, ou até mesmo ao ciclo solar. Mais observações serão necessárias nos próximos anos para explorar as causas por trás dessas flutuações.

Essas observações futuras virão de telescópios terrestres modernos, bem como do telescópio espacial James Webb, permitindo obter mudanças de temperatura com maior detalhe e mapas sem precedentes da química e temperatura atmosférica de Netuno.