tempo.com

Flores em Marte? NASA explica a origem dessas estranhas formações

A NASA anunciou que o rover Curiosity obteve imagens de alta resolução de uma formação mineral peculiar presente na superfície de Marte. Conheça aqui sua origem e outras curiosidades do veículo espacial que está no Planeta Vermelho há mais de uma década.

Rover Curiosity flor
Esta estranha formação mineral semelhante a uma flor foi fotografada pelo rover Curiosity Mars da NASA em 24 de fevereiro. Crédito: NASA/JPL-Caltech/MSSS.

Na semana passada, a NASA compartilhou imagens incríveis de pequenas e delicadas formações semelhantes a flores, detectadas na superfície de Marte. Com dimensões próximas a 1 cm, a “flor de rocha” foi fotografada em 24 de fevereiro, conforme anunciado pela NASA em 1º de março.

A partir da fusão de seis imagens captadas pelo Mars Hand Lens Imager (MAHLI) a bordo do veículo espacial Curiosity, formou-se a imagem de um aglomerado de cristais diagenéticos que, segundo os especialistas do Jet Propulsion Laboratory da NASA, têm origem na precipitação de partículas minerais contidas na água.

Os chamados “diagênicos” são cristais tridimensionais formados a partir da combinação de vários minerais, que segundo pesquisas anteriores no solo marciano, ficaram “presos” dentro de algumas rochas. o efeito da erosão na superfície do Planeta Vermelho “expôs” essas formações cristalinas peculiares e resistentes que se assemelham a pequenas flores. Excepcionais testemunhas do passado, as “flores marcianas” sugerem que a vida microbiana associada à presença de água pode ter existido no que hoje é um planeta inóspito.

Curiosity já observou formações semelhantes

Em uma pesquisa divulgada durante a 46ª Conferência de Ciência Lunar e Planetária, foi documentado que em Pahrump, na cratera Gale, a presença de água líquida foi evidenciada pelas características dos estratos do solo marciano naquela área. Os grupos de cristais tridimensionais identificados apresentaram maior resistência à erosão do que a rocha hospedeira. Com a exploração analítica do instrumento ChemCam e do espectrômetro Alpha Particle X-Ray (APXS) do rover Curiosity, também foi possível determinar a composição química desses cristais, caracterizada pela alta presença de magnésio e enxofre.

¡Un viaje que dura más de 3400 Soles!

O Mars Science Laboratory, também conhecido como Curiosity, como parte do Programa Mars Exploration da NASA, foi lançado em 26 de novembro de 2011 a bordo do foguete Atlas V 541 de Cabo Cañaveral, Flórida. Em 6 de agosto de 2012 pousou suavemente na cratera Gale, colocando à prova as tecnologias inovadoras da época.

Um dia solar de Marte, ou "sol", tem 24 horas, 39 minutos e 35,244 segundos.

Com dimensões semelhantes a um carro esportivo (3 m de comprimento; 2,7 m de largura e 2,2 m de altura) e pesando 899 kg, é equipado com um gerador de energia elétrica baseado no decaimento radioativo do plutônio. Equipado com câmeras capazes de capturar imagens e vídeos coloridos em diferentes distâncias, vários espectrômetros, detectores de radiação e sensores atmosféricos, ele faz parte de programas de pesquisa voltados para a caracterização do clima, a composição do solo e para determinar a presença de vida em Marte.

O Curiosity é hoje o maior e mais longevo dos rovers que exploraram Marte, e com descobertas como as “flores marcianas” continua a mostrar que pode contribuir com muito conhecimento para a exploração de um planeta que sonhamos habitar.