Temporada de geadas no Brasil

Estamos a cerca de um mês do início do inverno astronômico, mas o outono já nos fornece amostras da próxima estação. De agora em diante, é comum a ocorrência de geadas após a passagem de frentes frias intensas.

Bruno César Capucin Bruno César Capucin 26 Maio 2019 - 13:50 UTC
Exemplo de geada sobre a vegetação de superfície.

A geada é o congelamento do orvalho sobre alguma superfície e pode apresentar diferentes intensidades. O tipo mais recorrente do fenômeno no Brasil necessariamente depende da atuação conjunta dos seguintes fatores: domínio de um sistema de alta pressão associado a uma massa de ar frio, garantindo céu sem nuvens para que haja perda de calor da superfície para o espaço e pouco ou nenhum vento, a fim de que o vapor d’água presente no ar paire e encoste na superfície resfriada à noite, condensando em gotículas de água. O cumprimento destes requisitos leva a formação do orvalho sobre a vegetação. No entanto, o resfriamento noturno se agrava à medida que o amanhecer se aproxima, levando ao congelamento do orvalho sobre pastos, vegetação e objetos.

O ar frio mais significativo do período outono-inverno chegou ao Brasil neste fim de semana, após a passagem de uma frente fria continental. Na madrugada do sábado, várias cidades dos Estados do Sul, São Paulo, Mato Grosso do Sul e sul de Minas Gerais registraram temperaturas mínimas inferiores a 10ºC. Em Quaraí-RS, a mínima foi de 3.8ºC e algumas geadas fracas foram reportadas na região da Campanha Gaúcha, assim como na Serra da Mantiqueira. No Centro-Oeste, Campo Grande, a capital sul mato-grossense teve sua menor temperatura do ano até agora, 9,4ºC.

No entanto, na madrugada deste domingo, uma nova rodada de temperaturas menores que 10ºC e geadas isoladas ocorreram em áreas do Centro-Sul brasileiro. Nas altitudes mais elevadas do sul de Minas Gerais, Monte Verde registrou 3.3ºC, enquanto Maria da Fé 3ºC. Outras localidades do Sudeste também tiveram um amanhecer gelado. Em Ituverava-SP, município próximo da divisa com Minas Gerais, os termômetros marcaram mínima de 4.8ºC.

Curiosidades

Para se ter geada, a temperatura do ar não necessariamente precisa ser de 0ºC ou negativa. Isso porque a temperatura medida na superfície (temperatura de relva) pode ser até 5°C inferior a temperatura do ar. Logo, uma temperatura do ar de 5°C pode resultar em um evento de geada. Diferente da geada branca que forma finas camadas de gelo na superfície resfriada e não mata os vegetais, a geada negra é mais severa e devasta plantações. Este tipo de geada se forma com o sopro de ventos gélidos e nem sempre apresenta camadas de gelo na superfície das plantas, uma vez que pode ocorrer em qualquer momento do dia, quando o ar ainda tem pouca umidade.

Em geral, as geadas brancas fracas se desenvolvem em temperaturas entre 3°C a 5°C, moderadas entre 1°C a 3°C e forte quando a temperatura é igual ou menor que 0°C, onde as geadas fortes correspondem as geadas negras.

Os agricultores temem a geada, pois se tratando da geada negra, o congelamento da estrutura interna das culturas às levam a morte. O café por exemplo, é bastante vulnerável as baixas temperaturas. Em julho de 1975, um surto de ar frio na América do Sul reconhecido na literatura por “Poço dos Andes” dizimou as plantações de café do Paraná, gerando um impacto econômico e social sem precedentes ao Estado.

Publicidade