tempo.com

Perseverance Rover da NASA encontra indícios de vida passada em Marte

Em sua busca contínua por amostras de rochas no Planeta Vermelho, o Rover Perseverance está revelando descobertas animadoras sobre a história de Marte, com possíveis evidências de vida passada.

Perseverance
Perseverance tem explorado a Cratera Jezero desde 2021.

O Rover Perseverance da NASA encontrou as amostras de matéria orgânica mais abundantes em Marte até hoje, em descobertas que podem fornecer evidências de vida passada no planeta.

A matéria orgânica foi identificada em amostras de núcleo de rocha da Cratera Jezero de Marte, onde Perseverance está estacionado há mais de um ano. Desde julho de 2022, o rover tem pesquisado em um antigo delta de rio que se formou há cerca de 3,5 bilhões de anos.

Este delta teria sido situado na convergência entre um rio e um lago, onde os cientistas da NASA dizem que a vida poderia ter existido.

Que tipo de matéria orgânica Perseverance encontrou?

Perseverance coletou quatro amostras deste delta, com a mais chamativa vindo de um recurso conhecido como Wildcat Ridge. Esta estrutura, de cerca de 92 cm de largura, foi formada como um lago de sal que evaporou, deixando para trás só lama e areia fina.

Uma amostra da superfície do Wildcat Ridge foi coletada em 20 de julho, para ser analisada por um instrumento chamado 'Scanning Habitable Environments with Raman & Luminescence for Organics & Chemicals' (SHERLOC).

Dentro da amostra, SHERLOC identificou uma classe de moléculas orgânicas correlacionadas com minerais de sulfato, conhecidas por fornecer informações importantes sobre os ambientes aquáticos em que se formam.

Embora as moléculas orgânicas possam ser produzidas por processos químicos que não requerem vida, algumas delas são os blocos químicos de construção da vida. Sua descoberta é, portanto, considerada uma potencial 'bioassinatura' - algo que pode ser evidência de vida passada.

Rota do Perseverance
Rota do Perseverance desde o local de pouso até a localização atual (estrela vermelha), em setembro de 2022. Crédito: NASA/JPL-Caltech/Universidade do Arizona/USGS/JHU-APL.

“No passado distante, a areia, lama e sais que agora compõem a amostra do Wildcat Ridge foram depositados sob condições onde a vida poderia ter prosperado”, disse Ken Farley, cientista do projeto Perseverance. “O fato de a matéria orgânica ter sido encontrada em tal rocha sedimentar – conhecida por preservar fósseis de vida antiga aqui na Terra – é importante".

Perseverance agora coletou uma diversidade de amostras de rochas que a equipe do rover planeja depositar algumas delas em um esconderijo na base do delta, antes que o rover continue sua viagem de descobertas.

Amostras a serem analisadas na Terra

Antes que qualquer conclusão firme sobre as amostras possa ser feita, elas precisam ser trazidas à Terra, para que os cientistas possam avaliá-las com mais detalhes. Isso acontecerá como parte da campanha Mars Sample Return da NASA.

Infelizmente, para os mais ansiosos que desejam saber mais sobre as amostras, será necessária muita paciência, pois elas só devem retornar à Terra depois de 2033. No entanto, quando isto ocorrer, poderemos aprender mais sobre a história biológica de Marte.