tempo.com

Julho terá Superlua, chuvas de meteoros e a passagem de um cometa!

O mês de julho nos reserva eventos astronômicos incríveis: uma superlua, duas chuvas de meteoros e a passagem de um cometa! Preparem seus calendários astronômicos, seus cobertores e binóculos, e não percam esses espetáculos!

Superlua
Neste mês de julho ocorrerá a segunda superlua de 2022, além de outros eventos astronômicos imperdíveis.

O mês de junho nos trouxe grandes eventos astronômicos, como o raro alinhamento de 5 planetas e a primeira superlua do ano no meio do mês! Se você perdeu algum desses eventos, não desanime, em julho teremos a repetição de alguns, além de outros eventos astronômicos incríveis! Aproveite as noites de céu limpo desse inverno para se deslumbrar com esses espetáculos do céu noturno!

Julho nos reserva uma Superlua, a passagem do cometa PanSTARRS, duas chuvas de meteoros, além das melhores condições para observarmos o coração de nossa Via Láctea!

Em julho teremos a ocorrência da segunda das três superluas de 2022, duas chuva de meteoros e a passagem de um cometa! Além disso, julho é um dos melhores meses do ano para observar a Via Láctea, neste mês o coração da Via Láctea pode ser visto a olho nu no céu noturno durante a maior parte da noite!

Segunda Superlua de 2022

A segunda superlua do ano ocorrerá na segunda quarta-feira de julho, dia 13. Neste ano estamos observando uma ocorrência de superluas consecutivas, com a primeira ocorrendo no dia 14 de junho, a segunda em meados deste mês e a terceira, e última do ano, que ocorrerá no dia 12 de agosto!

Por que chamamos de Superlua? Superlua foi o nome popular dado às ocorrências de Lua cheia durante seu perigeu, ponto da órbita da Lua em que ela está mais próxima da Terra, o que faz a Lua parecer 14% maior e 30% mais brilhante que o normal.

Cometa PanSTARRS

Um dia depois da superlua, o cometa C/2017 K2 (PanSTARRS) fará sua maior aproximação da Terra no dia 14 de julho, passando a cerca de 230 milhões de km de distância da Terra. Mesmo com toda essa distância - maior que a distância entre a Terra e o Sol - o Cometa PanSTARRS é maior que a maioria dos cometas, o que o torna mais brilhante e visível (não tão brilhante quanto o cometa Neowise), sendo possível observá-lo através das lentes de um telescópio.

Se não conseguir observar o cometa no dia 14, não se preocupe, ele estará visível ao longo de todo mês na mesma região do céu, acima da constelação de Escorpião.

Duas chuvas de meteoros

O mês terminará com o pico de duas chuvas de meteoros ocorrendo num intervalo menor que 48 horas: a Delta Aquáridas do Sul e Alfa Capricórnidas. A chuva de meteoros Delta Aquáridas do Sul acontece anualmente entre os dias 12 de julho e 23 de agosto, e neste ano seu pico ocorrerá na noite de 29 de julho para 30 de julho e será seguida pelo pico da chuva Alfa Capricórnidas na noite de 30 de julho para 31 de julho.

Neste ano o pico das chuvas de meteoros Delta Aquáridas do Sul e Alfa Capricórnidas ocorrerá no final de julho!

Nas duas noites, ambas chuvas de meteoros estarão ativas, gerando cerca de 10 a 20 meteoros/estrelas cadentes por hora nas regiões mais escuras e sem nuvens. Além das tradicionais estrelas cadentes, também poderão ser observadas bolas de fogo brilhantes ou explosivas (bólidos), que deixaram clarões no céu, graças aos meteoros característicos de Alfa Capricórnidas.

Neste ano o pico de ambas as chuvas de meteoros coincide com o período em que a lua estará em sua fase nova, o que facilitará ainda mais a observação das estrelas cadentes riscando o céu noturno!