Impactante erupção vulcânica nas Filipinas gera transtornos

Dezenas de milhares foram evacuados em meio a uma erupção do segundo vulcão mais ativo do país, o Taal, a cerca de 64 quilômetros de Manila. As cinzas se espalharam pela ilha e tremores foram sentidos em aldeias vizinhas. Descargas elétricas dentro da pluma de fumaça viralizaram na internet.

Davi Moura Davi Moura 12 Jan. 2020 - 19:45 UTC
Erupção nas Filipinas, Vulcão Taal
Vulcão Taal lançou uma massiva quantidade de cinzas neste domingo (12).

Uma dramática explosão do segundo vulcão mais ativo das Filipinas neste domingo (12) levou a alertas de uma possível sequência de erupções. Os moradores foram evacuados e as comunidades próximas foram aconselhadas a tomar precauções contra qualquer surto de água no lago. Mais de 8.000 moradores que vivem na ilha onde o Taal está localizado, no meio de um lago, foram evacuados como medida de segurança, segundo as autoridades locais.

A explosão, que lançou uma nuvem de cinzas a 800 metros no ar, ocorreu meses depois que o vulcão - Taal, a cerca de 64 quilômetros ao sul de Manila - começou a exibir um estado de inquietação. Tremores foram sentidos na ilha do vulcão e em vilarejos ao redor da cidade vizinha de Agoncillo, na província de Batangas, e ruídos estrondosos do vulcão geraram temores entre os moradores.

A ilha do vulcão tem mostrado sinais de atividade desde março passado (o governo estava “monitorando de perto a situação do vulcão Taal), e o vulcão teve cerca de três dezenas de erupções registradas na história recente. Em janeiro passado, uma erupção no vulcão mais ativo do país insular - o Mayon, na província de Albay, a cerca de 320 quilômetros a leste do Taal - provocou um nível de alerta de quatro, pois gerou até 600 metros de fontes de lava e cinzas caíram sobre duas aldeias próximas.

A erupção vulcânica é um evento grandioso capaz de, em alguns casos, influenciar o clima do planeta, mas um outro fenômeno - que surgi como consequência da erupção – tem chamado a atenção de muitos internautas: descargas elétricas atmosféricas na fumaça do vulcão. As cinzas do vulcão Taal produziu inúmeras descargas elétricas que foram registradas e rapidamente viralizadas na internet.

Descargas Elétricas Atmosféricas em Erupções Vulcânicas

Os raios vulcânicos têm muito pouco a ver com a atividade tectônica e tudo a ver com a física cotidiana. Um raio vulcânico não é formado nas profundezas da Terra, mas sim em uma pluma vulcânica (a coluna em forma de cilindro de cinzas vulcânicas emitida por vulcões em erupção). Vulcões que não possuem uma pluma vulcânica espessa geralmente não possuem raios vulcânicos. Vulcões no Havaí, por exemplo, têm mais probabilidade de ejetar fontes de lava fluidas do que plumas grossas de cinzas. Esses vulcões raramente têm raios vulcânicos.

As minúsculas partículas que compõem uma pluma vulcânica são fortemente comprimidas sob um vulcão. A atmosfera arejada acima do solo, no entanto, é muito menos densa. Essa mudança na densidade contribui para os raios vulcânicos. As partículas densamente compactadas são ejetadas violentamente da pluma vulcânica e acabam colidindo entre si.

Essa interação é chamada fricção. Através do atrito, as partículas de cinza ganham e perdem elétrons - elas se tornam eletricamente carregadas. À medida que as partículas carregadas ascendem as partículas carregadas positivamente tornam-se cada vez mais separadas das partículas carregadas negativamente. Quando a separação de carga se torna muito grande para o ar resistir ao potencial elétrico, um raio rasga a pluma vulcânica para conectar as partículas carregadas positiva e negativamente. O fenômeno dura em média 1 segundo, mas as colorações vermelhas e violetas são marcantes e causam espanto aos olhos de quem está assistindo.

Publicidade