Imersos na poluição: o drama de Nova Délhi

Existem vários fatores que desencadearam os perigosos níveis de poluição na cidade de Nova Délhi. As concentrações extraordinariamente altas de poluentes estão colocando em risco a vida de milhões de pessoas que vivem lá.

Viviana Urbina Viviana Urbina Tiago Robles 13 Nov. 2019 - 18:10 UTC
Nos últimos dias, uma densa nuvem marrom cobriu o céu da cidade de Nova Délhi.

Em todo o mundo, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 12 milhões de pessoas morrem a cada ano devido à baixa qualidade do ar nas cidades onde vivem e trabalham; mais de 4 milhões são atribuídos aos efeitos da inalação de material particulado fino (MP2,5; partículas com diâmetro inferior a 2,5 micrômetros).

Considerando isso, a situação atual da qualidade do ar na capital indiana, Nova Délhi, é muito mais do que preocupante. Nas últimas semanas, más condições de ventilação adicionadas às emissões de poluentes pelos veículos, queima de pastagens agrícolas, pó de construção suspenso - para enumerar alguns dos fatores que agravam o problema - deixaram a cidade imersa em uma nuvem muito densa de contaminantes.

Os níveis de material particulado fino contaminante o que tem a capacidade de entrar nos pulmões (daí para a corrente sanguínea) atingiram valores próximos a 1000 microgramas por metro cúbico de ar - um valor que excede em muito as diretrizes da OMS de 25 mg/m³ de concentração de MP2.5 no ar considerando uma média de 24 horas.

A cidade teve que tomar uma série de medidas de contingência para tentar diminuir as emissões de poluentes e, assim, tentar minimizar os efeitos nas pessoas que moram nessa cidade. As aulas nas escolas foram suspensas, foi recomendado, na medida do possível, não sair de casa e usar filtros de purificação do ar para poder respirar melhor e um sistema muito rígido de retenção de veículos foi estabelecido.

A visibilidade foi prejudicada, tanto por essa nuvem tóxica, que os aviões tiveram que ser desviados para outros aeroportos, a fim de garantir a segurança dos passageiros e da tripulação nas operações aéreas.

Alguns efeitos do material particulado na saúde

Todas as pessoas, independentemente da idade, podem sentir os efeitos dos poluentes presentes no ar, embora os mais afetados acabem sendo crianças e adultos mais velhos.

Menor capacidade pulmonar, dificuldade para respirar (falta de ar), doenças broncopulmonares pré-existentes são complicadas, sintomas de bronquite obstrutiva aparecem, deficiência no desenvolvimento e eficiência do sistema respiratório são alguns dos efeitos que a exposição a altas concentrações de material particulado pode causar curto e longo prazo.

Publicidade