tempo.com

Estamos nos aproximando de um 'Big Rip', a antítese do 'Big Bang'?

O universo continuará se expandindo até que "se rompa"? É uma pergunta que os cientistas de todo o mundo se fazem, e talvez alguns de nós. A novidade agora é que em breve poderemos ter uma resposta!

Big Rip
A teoria da expansão do universo está próxima do "Big Rip".

O telescópio Roman Nancy Grace da NASA será lançado no próximo ano de 2027. Até lá, cientistas empolgados investigam se este telescópio será capaz de responder a grande questão, se o universo chegará em um "Big Rip"?

O que é o "Big Rip"?

Em português, a tradução seria algo como a "Grande Ruptura". Esta é uma teoria cosmológica sobre o fim do universo, ou seja, o oposto do Big Bang. O "Big Rip" garante que, se o universo contiver energia escura suficiente (de 70%, de acordo com um estudo da Science China), a gravidade perderá força gradualmente.

Basicamente, sustenta que as galáxias se afastarão e depois perderão a coesão interna. Planetas, satélites e estrelas perderão suas órbitas e "se espalharão" pelo cosmos. O universo que estudamos e conhecemos será povoado por diferentes corpos celestes dispersos, que serão simplificados até que não reste nada além de radiação.

O telescópio Nancy Grace

Embora a NASA não tenha finalizado o projeto da missão do telescópio Roman Nancy Grace, ela está colocando grandes expectativas e já realizando os primeiros estudos. Um deles e o que nos aproxima da ideia do "Big Rip", tem como objetivo principal investigar a expansão universal e a aceleração cósmica desde seus primórdios, para ter uma ideia de quando será o fim.

Nancy Gracy
O Telescópio Roman Nancy Grace, em homenagem à primeira mulher chefe de astronomia da NASA. Fonte: NASA

A pesquisa, conhecida como Estudo Espectroscópico de Altas Latitudes (HLSS), está publicada no The Astrophysical Journal e, de acordo com o autor principal Yun Wang, esta oportunidade de análise nos ajudará a compreender a primeira geração de galáxias, permitindo mapear a matéria escura e até revelar informações sobre possíveis exoplanetas e uma expansão acelerada do universo.

O "Big Rip" começa a fazer sentido

Desde que Einstein apresentou a Teoria da Relatividade até os cientistas atuais descobrirem que a expansão do universo está se acelerando, vários anos de erros já se passaram. Tudo isso nos leva ao Telescópio Roman Nancy Grace e ao HLSS, que poderiam nos dizer sobre a expansão do universo e se essa expansão terminará em um "Big Rip".

O novo estudo mostra que o HLSS examinará cerca de 5% do céu em cerca de sete meses e medirá com precisão 10 milhões de galáxias. E por fim: se o telescópio pode trazer nova profundidade e amplitude à nossa compreensão do universo, talvez possamos entender a história de sua expansão acelerada, incluindo a energia escura e seu fim.