Estados Unidos pode registrar -30°C nos próximos dias

Neste começo de semana, uma massa de ar gélida do Ártico atingirá partes da América do Norte ocasionando temperaturas que podem ficar abaixo de -20°C. Espera-se por anomalias negativas de até -30ºC em áreas do norte americano.

Bruno César Capucin Bruno César Capucin 08 Dez. 2019 - 13:42 UTC
Forte resfriamento esperado para os próximos dias em parte dos Estados Unidos.

Durante os próximos dias, uma mudança drástica no padrão de nível superior resultará no mergulho do ar do Ártico sobre a América do Norte. Os modelos indicam que a parte mais fria da massa de ar varrerá o centro-leste do Canadá, as planícies do norte e a região dos Grandes Lagos nos Estados Unidos. Contudo, o forte resfriamento será sentido ainda em áreas do centro-leste dos EUA.

A configuração para esse frio intenso tem relação com o que os meteorologistas chamam por amplificação do trem de ondas, que basicamente se trata do forte ganho de amplitude das cristas e cavados das latitudes médias. Em resposta a isso, uma ampla crista se posicionará estrategicamente a oeste dos EUA, alcançando a região do Ártico. Esse é um padrão clássico para forçar o ar gélido do polo norte em direção às terras do sul.

O potente ar frio seguirá a extensa frente fria do Ártico que se propagará para o leste acompanhada de chuva e neve. A previsão é que a frente mergulhe já hoje para as planícies do norte, com chance de neve ao norte das Montanhas Rochosas até o norte dos Grandes Lagos, previsão válida até à noite. Na terça-feira, os Estados da Dakota do Norte, Dakota do Sul, Minnesota, Wisconsin e Michigan podem registrar temperaturas negativas abaixo de -20°C, sobretudo nas áreas que estão próximas com a fronteira canadense.

Apesar do frio abrandar ao longo da semana em áreas do centro-leste dos Estados Unidos, as condições frias persistirão na região nordeste, onde o ar gélido pode permanecer até meados do dia 13 de dezembro. Vale a pena lembrar que é final do outono no Hemisfério Norte, ou seja, a atmosfera já está em padrões de inverno nesta época do ano. Isso ajuda a explicar os mergulhos inevitáveis da corrente de jato para o sul sobre a nação americana e que conduzem as condições de tempo invernais.

O twitter acima mostra a previsão de neve acumulada até a próxima quarta-feira (11) prevista pelo modelo europeu ECMWF. É possível observar que os maiores acumulados se concentram na fronteira com o Canadá, parte das Montanhas Rochosas e também da Cordilheira dos Apalaches, no leste dos Estados Unidos. Há ocorrência de precipitação invernal não depende somente do ar estar muito frio, mas também da disponibilidade de umidade e de mecanismos de suspensão desse ar frio e úmido (dinâmicos ou orográficos).

Publicidade