Ciclone Tropical Idai atinge Moçambique

O ciclone tropical Idai deve chegar às províncias da costa central de Moçambique entre hoje e amanhã. Os ventos e precipitação intensos causados pela aproximação do furacão categoria 3 já deixam vítimas fatais e muitos desabrigados no país.

Carolina Barnez Carolina Barnez 14 Mar. 2019 - 11:57 UTC
O ciclone tropical categoria 3 Idai deve chegar à costa de Moçambique entre hoje e amanhã. Créditos: MODIS/NASA

Enquanto o mundo está aterrorizado com a grande tempestade de inverno que afeta os EUA, um outro ciclone causa severos danos a Moçambique. O ciclone tropical Idai acionou alerta vermelho na parte norte e central do país africano. Até o momento foram 10 mortes reportadas e mais de 10 mil pessoas desalojadas pela destruição causada principalmente pelas chuvas e inundações. Ainda mais danos são esperados, uma vez que Idai se aproxima do litoral central de Moçambique.

Idai se formou no dia 4 de Março no Canal de Moçambique como uma depressão tropical, sem ser nomeado naquele momento por sua baixa intensidade. O Canal de Moçambique fica entre o país e a ilha de Madagascar, no oceano Índico, e é uma região propícia para a formação de furacões, uma vez que apresenta elevada temperatura de superfície do mar. O sistema de baixa pressão adentrou a parte norte de Moçambique e atuou sob o continente por dois dias causando muita chuva e inundações antes de retornar ao oceano, seguindo em direção nordeste. No entanto, dia 10 o sistema começou a se intensificar e a se deslocar novamente em direção ao continente.

Nessa segunda fase, já como ciclone tropical, Idai chegou a categoria 3 de intensidade dos ventos (178–208 km/h) no final de segunda-feira (11) e a expectativa é que atinja Moçambique entre hoje e sexta-feira (15). O centro do ciclone deve atingir as províncias de Sofala e Zambezia, que já sentem os efeitos dos ventos gerados pelo sistema. As autoridades nacionais alertam que pelo menos 120 mil pessoas estão sob o risco de inundações e chuvas fortes nos próximos dias.

Moçambique está na lista de países mais pobres do mundo e com frequência enfrenta problemas relacionados a desastres naturais, geralmente devido a depressões ou ciclones tropicais originados no Canal de Moçambique. Até o momento, mais de 60 mil pessoas já foram afetadas de alguma forma pelo ciclone Idai, incluindo pequenos agricultores que tiveram suas plantações inundadas e destruidas pelo efeito do vento e das chuvas.

Segundo a MeteoFrance, agência meteorológica da França, as rajadas de vento de Idai hoje de manhã chegaram a 250 km/h*. O Instituto Nacional de Meteorologia de Moçambique (INAM) emitiu um alerta marítimo, já que as ondas em alguns locais do canal podem atingir 10 metros de altura.

*Apesar das rajadas de vento chegarem a 250 km/h, a escala de classificação de ciclones tropicais Saffir–Simpson usa o vento "sustentado" por 10 minutos, que tende a ser mais fraco que o vento instantâneo medido. Por isso, apesar de apresentar rajadas de vento mais intensas, Idai é um ciclone categoria 3, com ventos sustentados de 175 km/h (14/03/2019 - MeteoFrance).

Publicidade