China lança missão espacial para trazer rochas lunares à Terra

Nessa segunda-feira (23) a China lançou sua mais nova e ambiciosa missão espacial, a Chang’e 5! A principal missão da Chang’e 5 é coletar materiais da superfície da Lua e trazer eles para Terra, algo que não é feito desde os anos 70!

Missão espacial chinesa
O foguete Long March-5 decolou nessa segunda-feira (23) com a sonda espacial Chang’e 5 a bordo, que realizará a coleta do material lunar. Foto: Mission of China/ Twitter.

A China fez o lançamento de sua mais complexa e ambiciosa missão espacial até o momento, cujo objetivo central é de coletar e trazer à Terra materiais da superfície da Lua, algo que não foi feito desde os anos 70!

O foguete Long March-5, o maior e mais poderoso veículo especial da China, decolou nessa segunda-feira (23) do Centro de Lançamento de Satélites de Wenchang, na província de Hainan, no sul da China, carregando a sonda espacial Chang’e 5, que recebeu esse nome em referência a deusa chinesa da Lua. A sonda pesa cerca de 8 toneladas e é composta por 4 módulos: o módulo orbital, o módulo de aterrissagem, o módulo ascendente e a cápsula de reentrada.

Após se separar do foguete, a sonda Chang’e 5 demorará alguns dias de viagem até chegar à órbita lunar. Após sua chegada á órbita da Lua, a sonda voará ao redor do corpo celestial por um certo período e então se separará em duas partes, com o orbitador e a cápsula de reentrada permanecendo em órbita enquanto os módulos de aterrissagem e o ascendente vão até a superfície lunar.

O módulo de aterrisagem, assim que estiver na superfície da Lua, próximo ao monte vulcânico Mons Rümker, utilizará uma broca de ponta para extrair rochas de até 2 metros abaixo da superfície e um braço mecânico para coletar terra da superfície. A missão espera coletar cerca de 2 quilos de pedras e terra da Lua, que serão embalados num recipiente de metal a vácuo dentro do módulo ascendente. Essas amostras ajudarão cientistas a entender e explorar mais a história vulcânica da Lua!

Depois que as operações em superfície forem concluídas, o foguete ascendente irá decolar com o material até a órbita da Lua, onde irá se encontrar e acoplar com o módulo de reentrada. Ele transferirá o material ao módulo de reentrada e se desencaixará dele. Este último módulo retornará a Terra para um local predefinido no norte da China, na região de Mongólia.

A missão inteira está programada para durar cerca de 23 dias, de acordo com a Administração Espacial Nacional da China, portanto, se tudo der certo, o módulo carregado de material lunar chegará de volta à Terra em meados de dezembro.

Se passaram 44 anos desde a última vez em que substâncias extraterrestres oriundas da superfície da Lua foram trazidas a Terra, a última vez foi em agosto de 1976, quando a missão não tripulada Luna 24 da antiga União Soviética trouxe 170 gramas de amostras lunares.

Se a missão for bem sucedida, a China se tornará o terceiro país a recolher amostras da superfície lunar, depois dos Estados Unidos e a antiga União Soviética. O país também foi o terceiro a colocar um homem no espaço em 2003, após os Estados Unidos e Rússia.

Em julho desse ano a China enviou a missão espacial Tianwen-1, composta por um módulo orbital e um veículo explorador, rumo à Marte. Prevista para chegar por volta de fevereiro do ano que vem, Tianwen-1 buscará por sinais de água no planeta vermelho.