tempo.com

Animais são um grupo vulnerável diante da guerra na Ucrânia

Em meio a uma guerra, grupos de animais são os mais vulneráveis, incluindo os que estão em zoológicos e fazendas ou domesticados em casa.

Cidadão ucraniano regatando seus animais de estimação
Muitas pessoas decidiram se abrigar junto com seus animais de estimação, mas outros não tiveram a mesma sorte e precisaram ser abandonados à própria sorte.

Incapaz de pegar uma arma para se defender, muitos dos parceiros de vida dos ucranianos estão em modo de estresse, sentindo as emoções de seus donos e ouvindo as explosões de mísseis e armas. Por outro lado, há os animais de zoológicos e fazendas que, em alguns casos, não conseguiram ser evacuados devido à invasão russa.

Em uma guerra em que animais e bichos de estimação não têm voz, eles fazem parte dos grupos mais vulneráveis. Após uma semana de ataques com mísseis aéreos russos em algumas cidades da Ucrânia, o número de animais abandonados aumentou.

Nas ruas de Kiev, cães e gatos podem ser vistos vasculhando latas de lixo em busca de algo para comer, olhos angustiados enquanto as explosões de tanques de guerra e armas os colocam em estresse total.

Enquanto isso, em fazendas e ranchos ao redor da Ucrânia na fronteira com a Rússia, camponeses foram despejados pelas forças russas. Ações que expuseram gado, aves e animais de pasto, durante a estação fria ainda palpável naquela região.

Zoológico de Kiev em crise e não há como evacuar

O 'Zoológico de Kiev', o maior do país, que também funciona como reserva natural dada a sua área de 99 hectares, onde vivem animais endêmicos e em perigo de extinção da região, está em crise, pois não tem comida e remédios suficientes.

Como outros animais, derivados de ataques surpresa de soldados russos e bielorrussos, os tratadores não tiveram tempo suficiente para preparar uma evacuação e buscar abrigo para cada uma das espécies que exigem necessidades diferentes.

O zoológico abriga cerca de 4.000 criaturas pertencentes a mais de 200 espécies, incluindo elefantes, girafas, camelos e o único gorila da Ucrânia. “É quase impossível evacuar os animais, pois é impossível fornecer serviço veterinário adequado e transporte”, disse Kyrylo Trantin, chefe do zoológico, a uma mídia local. “Por enquanto, temos suprimentos de comida para cerca de dez dias”.

Os bombardeios causam estresse e angústia

Derivado dos intensos combates perto do zoológico de Kiev, a inquietação e os gritos dos animais podem ser ouvidos a centenas de metros de distância. Para muitas das espécies, o grupo de veterinários e cuidadores que decidiram ficar para cuidar delas, forneceu sedativos e analgésicos.

"Elefantes e outras espécies vulneráveis recebem sedativos para acalmá-los durante o tiroteio", diz Trantin. “Como a guerra está causando muito estresse aos animais, alguns foram realocados para recintos fechados e galerias subterrâneas”. "Além disso, nossos guardiões ficam com eles durante a noite", acrescenta.

Cães na guerra; Ucrânia
Centenas de pessoas se refugiam no metrô da Ucrânia na companhia de seus animais de estimação. Fotos: redes sociais.

Por outro lado, zoológicos e abrigos de animais mais ao sul da Ucrânia, temendo serem invadidos, iniciaram a lenta evacuação de muitas de suas espécies para países vizinhos. Porém, devido a ataques aéreos, muitos dos trabalhadores temem pela segurança dos animais e de si mesmos.

Na segunda-feira passada, animais do santuário de ursos Save Wild, próximo de Kiev, foram transportados para a Polônia, onde o zoológico de Poznan lhes ofereceu abrigo durante a guerra.