O que são tempestades de fogo?

Uma tempestade de fogo trata-se de uma nuvem convectiva (pirocúmulos) que se desenvolve acima da fumaça de grandes incêndios florestais ou erupções vulcânicas. Violentas correntes ascendentes e muita turbulência estão associadas a esse tipo de formação.

Bruno César Capucin Bruno César Capucin 20 Nov. 2019 - 11:12 UTC
Incêndio de grandes proporções e formação de nuvem pirocúmulos.

As tempestades de fogo são caracterizadas por uma formação de nuvem bastante peculiar, denominada pirocúmulos. Esse tipo de nuvem ocorre em regiões de extremo aquecimento atmosférico associado a grandes incêndios ou atividade vulcânica. Quando há um incêndio florestal de grande magnitude em uma determinada área, a grande energia liberada tem potencial para formar uma tempestade de fogo acima dele. De maneira similar, erupções vulcânicas significativas são responsáveis por uma grande liberação de energia, que também favorece a formação do fenômeno acima do vulcão.

As correntes ascendentes das tempestades de fogo são acompanhadas por material particulado e por uma densa pluma de fumaça, quem em casos mais graves alcançam os altos níveis da troposfera e prejudicam o transporte aéreo, sobretudo quando próximas de aeroportos. Além da suspensão da fumaça e do material particulado pelas correntes ascendentes, todo o vapor d’água disponível no ar ascende, originando a nuvem convectiva acima da fumaça do incêndio ou da erupção. Uma vez formada a tempestade de fogo, as condições do incêndio podem se agravar.

Os pirocúmulos possuem turbulência severa associada e fortes rajadas de vento na superfície, o que favorece a suspensão e o arrasto de labaredas e brasas para regiões mais distantes da área do incêndio. Deste modo, novos focos se iniciam nas imediações do incêndio principal. Em Nova Gales do Sul (Austrália), bombeiros reportaram brasas descendo do céu a uma distância de 30 km do grave incêndio florestal que atinge o país nas últimas semanas.

Outra característica comum da tempestade de fogo é a presença de raios. A forte turbulência promove a eletrificação da tempestade pelo atrito do material particulado e do próprio gelo, especialmente dentro de pirocúmulos muito desenvolvidos. Raios atingindo áreas de vegetação seca na superfície também podem iniciar novos incêndios. Embora seja uma tempestade com suas correntes ascendentes e descendentes, a tempestade de fogo não produz chuvas. Devido à complexidade desse tipo de fenômeno, o fogo se torna incontrolável.

Nas imagens de satélite, é fácil reconhecer esse tipo de formação. Geralmente se observa uma nuvem (tons de branco) acima de uma região de densa fumaça de incêndios ou de erupções. O aquecimento do ar gerado por grandes incêndios às vezes é o gatilho para instabilizar a atmosfera. Tendo umidade suficiente, nuvens convectivas desassociadas da região do incêndio podem se desenvolver e provocarem chuvas. Incêndios florestais de grandes extensões com potencial para esse tipo de formação são observados anualmente na costa oeste dos Estados Unidos, parte da Europa e da Austrália.

Publicidade