Um chamado pela Saúde e pelo Meio Ambiente

Já chamada de o "novo tabaco", a poluição do ar é um problema crítico não só para o meio ambiente, mas também para a saúde humana. Este foi tema desse ano para o Dia Mundial do Meio Ambiente, que está promovendo diversas iniciativas para conscientizar e atrair soluções para este problema.

Carolina Barnez Carolina Barnez 06 Jun. 2019 - 11:42 UTC
A poluição do ar é um problema crítico não só para o meio ambiente, mas também para a saúde humana.

Ontem foi o dia mundial do meio ambiente, celebrado todos os anos em 5 de Junho. O tema escolhido nesse ano pela Organização das Nações Unidas (ONU) é "Poluição do Ar", considerada atualmente uma questão crítica não só para o meio ambiente, mas também para saúde humana. Durante toda a semana, a realização de diversas atividades em vários estados tem como propósito conscientizar a sociedade, em todas as esferas, sobre a importância da preservação do meio ambiente e sua relação com a nossa saúde.

Já sabemos que alguns poluentes atmosféricos estão diretamente ligados ao aquecimento global, e isso já é um bom motivo para reduzi-los. No entanto, uma das preocupações mais imediatas da poluição do ar são os riscos à saúde humana, principalmente às crianças e gestantes. Os últimos dados divulgados pela ONU são alarmantes:

  • 9 em cada 10 pessoas no mundo respiram ar poluído;
  • 1 em cada 9 mortes em nível global é causada por emissões nocivas;
  • 7 milhões de mortes prematuras por ano são causadas por poluição do ar;
  • no continente americano mais que 300 mil pessoas morrem por ano pela má qualidade do ar.

Para Denise Hamú, presidente da ONU Meio Ambiente no Brasil a poluição do ar é uma ameaça silenciosa: "(...) esta forma de poluição está matando tanto que já é chamada de 'o novo tabaco'". Segundo Hamú, os eventos da semana do meio ambiente são fundamentais para a conscientização da população, governo e organizações sobre a conservação do meio ambiente, mas "também são um chamado para mais investimentos em tecnologias verdes e mudanças de hábitos no dia a dia de cada cidadão".

Durante a celebração do dia mundial do meio ambiente, ontem em Brasília, foi anunciada a criação da rede nacional de monitoramento da qualidade do ar. A ONU Meio Ambiente e a Organização Pan-Americana de Saúde/Organização Mundial de Saúde (OPAS/OMS) aproveitaram a ocasião para lançar a campanha Respire Vida no Brasil, que tem como objetivo conscientizar as pessoas da necessidade de proteger nossa saúde e a saúde do planeta. A iniciativa conta com especialistas de ambas as partes para a divulgação de soluções, apoiadas nos objetivos globais de desenvolvimento sustentável. Como ponta-pé inicial, foi publicada a cartilha "16 medidas pela qualidade do ar nas cidades: um chamado pela saúde e pelo meio ambiente", para colaborar com gestores municipais.

Por que 5 de Junho?

No dia 5 de Junho de 1972 aconteceu a abertura da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, também conhecida como Conferência de Estocolmo. Esta conferência, que ocorreu entre os dias 5 e 16 de Junho na capital sueca, foi a primeira grande reunião de chefes de estados para tratar das questões relacionadas a degradação do meio ambiente.

A Conferência de Estocolmo é considerada um marco na tentativa de melhorar a relação do homem com o meio ambiente e nela foi discutida, pela primeira vez, a possibilidade de um equilíbrio entre crescimento econômico e conservação ambiental - ideia que depois evoluiu para o conceito de desenvolvimento sustentável.

Publicidade