Nível de CO2 na atmosfera atinge marca histórica

Nesse mês alcançamos uma marca nunca observada na história da humanidade: o nível de 415 partes por milhão de concentração de CO2 na atmosfera! Esse nível foi observado pela última vez a mais de 3 milhões de anos atrás!

Paola Bueno Paola Bueno 21 Maio 2019 - 10:51 UTC
No dia 15 de maio o nível de CO2 na atmosfera bateu um novo recorde: 415,7 partes por milhão.

O nível de concentração de Dióxido de Carbono (CO2) atingiu uma marca impressionante nesse mês de maio. O Observatório de Mauna Loa, no Havaí, que vem medindo os níveis de CO2 na atmosfera desde 1958, registrou a impressionante marca de 415.7 partes por milhão (ppm) no dia 15 de maio.

O meteorologista Eric Hothaus, em uma publicação em seu Twitter, disse que “Essa é a primeira vez na história humana que o nosso planeta tem mais de 415 ppm de CO2. Não apenas na história registrada, não apenas desde a invenção da agricultura, há 10 000 anos atrás. Desde antes os seres humanos modernos existirem a milhões de anos atrás”. Portanto, estamos numa situação nunca experimentada antes na história da humanidade!

Através de simulações feitas por computadores e dados paleoclimáticos, pesquisadores do Instituto de Pesquisa sobre Impacto Climático de Potsdam, na Alemanha, verificaram que a última vez que a atmosfera continha esse tanto de CO2 foi há mais de 3 milhões de anos atrás, numa época denominada de Plioceno. Naquela época, a temperatura global era de 3 a 4° C mais alta que a atual, quase não havia geleiras no planeta, o nível médio do mar era de 15 a 20 metros mais alto do que é hoje, florestas cresciam ao redor do Polo Sul, que era 20°C mais quente do que é hoje, e a vida na Terra era dominada por mamíferos gigantes.

Evidentemente, nossa situação ainda não é essa, apesar de já termos observado um aumento de cerca de 1°C na temperatura média global e um pequeno aumento do nível médio do mar. Mas isso não quer dizer que não chegaremos lá, pois existe um intervalo de tempo entre a emissão dos gases de efeito estufa e os efeitos que eles têm sobre o sistema climático global. Então, mesmo se parássemos de emitir CO2 hoje, ainda levaria décadas ou até séculos para que as temperaturas se estabilizassem e o sistema climático como um todo alcançasse um ponto de equilíbrio.

Mesmo sabendo que houve períodos em que a Terra registrou níveis semelhantes ou superiores aos atuais, é importante observar que as condições observadas hoje não são perfeitamente comparáveis ao passado. A principal diferença é a taxa na qual o nível de CO2 na atmosfera está aumentando. Antes da revolução industrial, o nível de CO2 na atmosfera era de 280 ppm, isso mostra que aumentamos em quase 50% a concentração de CO2 em dois séculos, algo nunca visto em milhões de anos da história da Terra.

Para permanecermos abaixo de 1.5°C de aquecimento, conforme estabelecido pelo Acordo de Paris, as emissões de CO2 teriam que ser reduzidas em cerca de 50% até 2030. Porém, conforme o ritmo que estamos, as emissões continuarão a crescer de forma acelerada e até a metade do próximo século atingiremos níveis nunca vistos em 56 milhões de anos, dessa forma, o aquecimento de 3 a 4°C será inevitável, colocando em grande risco todo o meio ambiente da forma que conhecemos hoje.

Publicidade