Super tufão Hagibis, uma nova ameaça no Pacífico Oeste

O super tufão Hagibis, formado no último final de semana no Oceano Pacífico Oeste, entrará para a história como o ciclone tropical de intensificação mais rápida e explosiva, além de ser uma das tempestades tropicais mais intensas do planeta!

Paola Bueno Paola Bueno 08 Out. 2019 - 11:51 UTC
Imagem do super tufão Hagibis nessa segunda-feira (07/10) registrada pelo satélite Himawari 8. Fonte: Japan Meteorological Agency.

O Oceano Pacífico Oeste tem se mostrado bem ativo na formação de ciclones tropicais nos últimos dois meses, fortes tempestades tropicais e tufões tem se formado e ameaçado áreas continentais, como o último tufão Mitag, responsável pela morte de 13 pessoas na Coréia do Sul no início desse mês. Agora um novo ciclone tropical está em cena, ainda mais intenso e violento que seus antecessores, o super tufão Hagibis.

O super tufão Hagibis veio para entrar na história, apresentando uma das intensificações mais rápidas e explosivas que qualquer ciclone tropical já tenha registrado em qualquer ponto da Terra! Seus ventos máximos, próximos ao centro do tufão, eram de 96 km/h as 09 BRT do domingo e passaram para 258 km/h as 09 BRT de segunda, quando estava atuando sobre as pequenas Ilhas Marianas, ilhas poucos habitadas que pertencem aos Estados Unidos, isso quer dizer que dentro de 24 horas Hagibis passou de tempestade tropical para um tufão de categoria 5!

De acordo com o meteorologista Philip Klotzbach, da Universidade de Colorado, em sua página do Twitter, essa é a maior intensificação vista em um ciclone tropical no Pacífico Oeste em pelo menos 23 anos, desde a impressionante intensificação dentro de 18 horas do tufão Yates em 1996.

Outra característica intrigante é que Hagibis apresentava nessa segunda-feira, quando classificado como categoria 5, um “olho” de apenas 8 km de diâmetro, muito menor que a média de 30 a 40 km de diâmetro, de acordo com as estimativas da NOAA. Isso talvez explique sua rápida intensificação, já que ciclones tropicais com pequenos núcleos internos (“olho” do ciclone tropical) tendem a se desenvolver rapidamente, porém se enfraquecer mais rápido que o esperado.

Nessa terça-feira Hagibis ainda trará muita chuva, ventos fortes e grandes ondas para o norte das Ilhas Marianas. Após passar pelas ilhas, Hagibis deve continuar sua trajetória para noroeste e depois para norte, rumo ao Japão. O super tufão poderá se enfraquecer conforme se aproxime do continente, devido as condições desfavoráveis nos ventos em altos níveis que encontrará pelo caminho, de qualquer forma, ele ainda pode atingir o Japão como um tufão de categoria forte e perigosa no final dessa semana, as atuais previsões indicam que ele poderá atingir o litoral do país como categoria 3. A chegada do tufão provavelmente afetará o Grande Prêmio do Japão de F1 e a copa mundial de Rugby, que estão programadas para ocorrer nesse final de semana.

Hagibis é a 19ª tempestade nomeada do ano no Oceano Pacífico Oeste, além de ser o 4° ciclone tropical de categoria 5 do mundo no ano de 2019, vindo após o super tufão Wutip em fevereiro, o furacão Dorian no início de setembro e o furacão Lorenzo no final de setembro.

Publicidade