tempo.com

Poluição sonora humana pode influenciar como os golfinhos se comunicam!

Impossível manter uma conversa com alguém quando há muito barulho ao nosso redor. O mesmo vale para os golfinhos que sofrem com a poluição sonora.

poluição sonora delfim
Devido ao barulho causado pela atividade humana, os golfinhos são obrigados a “gritar” para se comunicarem entre si.

Os golfinhos são animais que vivem em grupos. Vivem em comunidade o que lhes permite caçar, fugir de possíveis perigos ou proteger o resto do grupo e em particular as suas crias. Assim como os humanos, os golfinhos precisam de comunicação para interagir entre diferentes indivíduos do grupo.

Mas entre os mamíferos marinhos, a comunicação é baseada na troca de sons. No entanto, para compreender a si mesmo, é preciso antes de tudo ouvir e ser ouvido pelos outros. A poluição sonora ligada às atividades humanas preocupa os cientistas. Eles temem que o barulho atrapalhe as interações entre os golfinhos, conforme revelado LePoint.

Na natureza, é impossível para os pesquisadores verificar se essa hipótese é verdadeira. Uma equipe de cientistas da Universidade de Bristol, no Reino Unido, conduziu com sucesso um experimento com golfinhos domesticados por humanos. Dois golfinhos nariz-de-garrafa, Delta e Resse, do Dolphin Research Center, na Flórida, EUA, participaram da pesquisa.

Treinados por seus treinadores habituais, os dois golfinhos tiveram que apertar um botão por vez. Em uma bacia semelhante a uma lagoa, eles tiveram que realizar esse exercício enquanto os cientistas transmitiam ruídos cada vez mais altos. Para o experimento, os cetáceos foram equipados com sensores de som e movimento.

Conclusões de sua investigação: os pesquisadores perceberam que os golfinhos quase duplicaram a duração e a intensidade de seu assobio quando o volume dos ruídos emitidos era cada vez mais alto. Eles também ficavam cara a cara com mais frequência. É como se os dois golfinhos começassem a chorar.

Isso nos mostra que os golfinhos podem modificar suas vocalizações na tentativa de continuar a cooperar com seu parceiro”, explica uma das coautoras do estudo britânico, Stephanie King. A equipe também notou que os mamíferos marinhos tinham dificuldade em coordenar suas ações quando havia muito ruído ambiente.

Más notícias para esta espécie animal particularmente sociável. A taxa de sucesso do exercício foi de 85% em condições normais. De 77,5% com poluição sonora bastante baixa e diminuiu para 66,5% quando o ruído atingiu 150 decibéis (o máximo testado durante o experimento). Sabendo que o som de um navio de petróleo se movendo sobre a água pode chegar a 200 dB.

Só que os resultados preocupam os pesquisadores porque a poluição sonora ameaça a saúde dos golfinhos: "Se o ruído torna os grupos de animais selvagens menos eficientes na realização de ações cooperativas, como a busca por alimento, isso pode ter consequências negativas significativas em sua saúde individual e, por consequência, sobre o seu grupo.