tempo.com

Onde caíram os destroços do foguete chinês?

Os restos do foguete chinês Longa Marcha 5B que caíam de forma descontrolada de volta para a superfície da Terra finalmente caíram sobre o mar Arábico no Oceano Índico nesse domingo, próximo às Maldivas, causando nenhum acidente em solo.

Foguete Chinês
Imagem do foguete Longa Marcha 5B no dia do seu lançamento em 29 de abril. Créditos da Imagem: CASC.

Na última semana todo o mundo ficou em alerta sobre a iminente queda do foguete chinês que perdeu o controle após a realização de uma missão espacial na órbita da Terra. Finalmente o foguete retornou à Terra neste domingo (09), caindo sobre as águas do Oceano Índico, causando nenhum acidente ou fatalidades.

Os destroços do foguete chinês Longa Marcha 5B é um dos maiores itens de lixo espacial em décadas a cair na Terra de forma não direcionada e controlada.

No dia 29 de abril (quinta-feira) a China lançou o foguete Longa Marcha 5B para uma missão não-tripulada cujo objetivo principal era colocar a primeira peça da futura estação espacial chinesa na órbita da Terra. O lançamento em si pareceu ter ocorrido bem, mas o segmento principal do foguete, responsável por lançar o módulo da estação em órbita, começou a perder altura e cair incontrolavelmente de volta à atmosfera terrestre.

O pedaço do foguete de 22 toneladas e 30 metros de comprimento reentrou na atmosfera às 10h24 de Pequim de domingo (22h24 de sábado no horário de Brasília),grande parte da estrutura foi destruída ao reentrar na atmosfera, de acordo com a mídia estatal chinesa, mas os destroços restantes caíram no Oceano Índico, no ponto 72.47° Leste e 2.65° Norte, a oeste das Maldivas.

A passagem do foguete pela atmosfera durante sua queda foi capturada quando sobrevoava a Arábia Saudita, pouco antes de cair no Oceano Índico.

As especulações sobre a queda do foguete na Terra geraram muitas preocupações e críticas, pois não se sabia onde e quando os destroços colidiram com a superfície. As autoridades norte-americanas e alguns especialistas alertavam que essa queda poderia causar acidentes fatais em regiões habitadas.

Entretanto, as autoridades chinesas insistiram que esse risco era muito baixo já que as previsões indicavam que as chances de algum lugar povoado ser atingido eram muito baixas, até porque grande parte do nosso planeta é coberta por oceanos, então as maiores chances eram de cair sobre o mar.

Apesar deste caso ter ganhado uma grande repercussão, eventos como esse não são tão raros. A quantidade de lixo espacial é grande e todos os dias detritos entram na atmosfera, a grande maioria se queima e se vaporiza antes de colidir com a superfície. O que diferencia o caso do foguete chinês é o seu tamanho. Por ser muito grande, obviamente ele não se queimaria completamente na atmosfera.

O professor de astronomia Roberto Costa, da Universidade de São Paulo, disse em entrevista à CNN que existe um grande cemitério de foguetes e satélites na Terra, “fica no Sul do Oceano Pacífico, um lugar que, quando as quedas são controladas, elas são dirigidas para lá”.