tempo.com

Incrível e intensa aurora boreal registrada em vídeo em Manitoba, no Canadá

Há alguns dias, uma impressionante aurora boreal, fenômeno atmosférico também conhecido como “Luzes do Norte”, foi registrada pelo cientista, fotógrafo e caçador de auroras Vincent Ledvina, em Manitoba, no Canadá. Veja aqui o vídeo deste incrível evento!

Na última semana de setembro, um surpreendente evento meteorológico de aurora boreal ('Northern Lights', em inglês) aconteceu no Canadá, e foi filmado em Churchill, província de Manitoba.

De acordo com o autor do vídeo – e também usuário da rede social Twitter - Vincent Ledvina -, este foi o “vídeo em tempo real de uma das mais coloridas sub-auroras que já vi! Isto ocorreu na semana passada em Churchill, Manitoba”. As maravilhosas imagens proporcionadas pela mãe natureza podem ser contempladas no vídeo abaixo.

Mas, afinal, como se formam as auroras boreais? Elas surgem graças ao efeito de luzes e brilhos fluorescentes que ocorrem nos céus do Polo Norte. O Sol fornece calor, luz e partículas pequenas ao nosso planeta, e é o campo magnético da Terra que nos protege da maior parte da energia e da entrada dessas partículas vindas do Sol.

A contínua corrente de vento solar e as tempestades solares geram um tipo de ejeção de massa coronal; ou seja, o Sol lança uma enorme bolha de gás eletrificado que pode viajar através do espaço a velocidades muito altas, chegando ao nosso planeta.

Quando as tempestades solares chegam à Terra, parte da energia e das pequenas partículas viajam pelas linhas do campo magnético, principalmente na área dos Polos Norte e Sul, infiltrando-se nas últimas camadas da atmosfera terrestre.

Lá, as partículas interagem com os diferentes gases atmosféricos, e por causa disto, surgem luzes de diferentes cores no céu. São os gases como o oxigênio que permitem que as cores assumam as tonalidades verde e vermelho fluorescente.

Já o nitrogênio origina um brilho intenso com cores azul e púrpura. Quando estes gases, eventualmente se misturam, as cores são abundantes e distintas: rosa, amarelo, laranja e branco são outras cores que podem aparecer.

Quanto ao tipo de aurora descrito acima (sub-forma), também chamada de sub-forma magnetosférica ou sub-aurora, trata-se de uma breve perturbação na magnetosfera terrestre, o que faz com que a energia seja liberada da "cauda" da magnetosfera e injetada na ionosfera de alta latitude.