tempo.com

Ilhas Canárias: 42 terremotos foram registrados neste fim de semana

A atividade vulcânica nas Ilhas Canárias ainda segue intensa, mesmo um mês após o seu início. No último fim de semana, foram registrados 42 terremotos, com o mais intenso atingindo 4,3 graus na escala Richter.

Ilhas Canárias: 42 Terremotos foram registrados neste fim de semana
A atividade vulcânica nas Ilhas Canárias segue intensa. Foram registrados 42 terremotos, com o mais intenso atingindo 4,3 graus na escala Richter. (imagens: Reuters)

As erupções vulcânicas nas Ilhas Canárias já estão prestes a completar um mês, e ainda não há expectativa de que vão terminar em breve. O vulcão Cumbre Vieja entrou em erupção no dia 19 de Setembro, e desde então a lava, as cinzas e os terremotos têm deixado um rastro de destruição no arquipélago.

Mais de 7000 pessoas já foram evacuadas das ilhas e quase 2000 edifícios foram destruídos, mas felizmente as ações preventivas evitaram maiores estragos - Apesar de muitas pessoas terem perdido seus bens pessoais e suas casas, não há nenhum ferido ou morto até o momento.

Neste fim de semana, a atividade geológica na região mostrou que continua muito ativa. Foram registrados 42 terremotos, dos quais o mais intenso chegou a 4,3 graus na escala Richter, de acordo com o Instituto Geográfico Nacional da Espanha.

Na prática, os movimentos sísmicos nos mostram que não há um fim à vista para a erupção, como confirmou o presidente das Ilhas Canárias, Angel Victor Torres. Os rios de lava já destruíram mais de 740 hectares de terra das ilhas e devem continuar avançando.

Quais foram os efeitos da erupção neste fim de semana?

Ao total, a ilha possui 83 mil habitantes, que passaram a conviver diariamente com a preocupação e os abalos sísmicos - Ocasiões frequentes desde o dia 19 de Setembro, quando o Vulcão entrou em erupção

Entre as pessoas que vivem nos arredores do vulcão e não foram evacuadas, cerca de 3000 entraram em lockdown devido ao risco de inalar gases tóxicos. Até o momento, cerca de 1% da superfície total da ilha foi soterrada pela lava. As cinzas se dispersaram por praticamente todo o arquipélago, cobrindo grandes áreas.

Neste fim de semana, pelo segundo dia consecutivo, aviões estiveram impedidos de passar pela região devido às cinzas vulcânicas. Neste domingo, companhias aéreas cancelaram 38 vôos, a maioria vindo de outras ilhas do arquipélago.

O governo da Espanha já destinou o equivalente a cerca de 67 milhões de reais para medidas urgentes de realocação e ajuda aos habitantes que foram desalojados e, de acordo com o presidente de governo Pedro Sánchez, a Espanha está comprometida com a total recuperação da ilha.

Esta é a oitava erupção já registrada em La Palma. Na história mais antiga, há registros de cinco erupções entre os séculos 15 e 18. Na história moderna, foram registradas erupções em 1949 e em 1971. Em termos de material expelido, estima-se que a erupção atual seja a terceira mais potente já registrada no local, e pode se tornar a primeira caso perdure por muito mais tempo.