Duas possíveis soluções para a crise global de água potável!

Atualmente, dois bilhões de pessoas não têm acesso à água potável, que é um direito humano básico. Veja aqui tudo sobre o desenvolvimento de duas tecnologias diferentes como possíveis soluções para este problema mundial.

Crisis del agua potable tecnologías
O desenvolvimento de tecnologias que podem ajudar a resolver o problema da falta de água potável no mundo está no centro da cena. A ideia é implementá-las antes que seja tarde demais.

O desenvolvimento de tecnologias que podem ajudar a resolver o problema da falta de água potável no mundo está em foco. A ideia é implementá-las antes que seja tarde demais. A água é o recurso mais abundante na Terra, mas estamos diante de uma crise iminente como espécie. As mudanças climáticas, os conflitos globais e a superpopulação, são apenas alguns dos fatores que estão prejudicando o abastecimento de água potável. Parece absurdo, mas é real. Atualmente, 2 bilhões de pessoas não têm acesso à água potável (dos quase 8 bilhões de seres humanos no mundo), em um planeta coberto por 70% de água.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), esses dois bilhões de pessoas só têm acesso à água contaminada com fezes. Apenas um copo desta água os colocaria em risco de contrair doenças, como cólera e febre tifóide, e estima-se que cerca de 500 mil pessoas morrem por ano devido à falta de água potável. Por isso, o desenvolvimento de tecnologias que possam ajudar a resolver este problema está em foco hoje e, a ideia é implementá-las antes que seja tarde demais.

Watergen: a máquina “ar-água”

Michael Mirilashvili é diretor da Watergen, uma empresa com sede em Israel que oferece uma das possíveis soluções para a falta de água potável. Já está sendo utilizada sua tecnologia “ar-água” para fornecer água limpa a áreas remotas do mundo afetadas por conflitos ou mudanças climáticas. Seu funcionamento é bastante simples, dado que a atmosfera da Terra contém 13 bilhões de toneladas de água doce, as máquinas de Watergen funcionam filtrando esse vapor d'água do ar.

As maiores máquinas de Watergen podem fornecer 6 mil litros de água por dia. Elas já foram usadas para auxiliar os hospitais na Faixa de Gaza e vilas rurais na África Central, onde as pessoas teriam que caminhar horas para encontrar este recurso vital. Também ajudaram o governo da Austrália a combater os incêndios florestais devastadores de 2020.

Mirilashvili expõe que, se a tecnologia da Watergen for usada corretamente, ela pode gerar uma mudança importante no setor de água, com um impacto duradouro no planeta. "Não se trata apenas de salvar vidas, mas de melhorar a vida de milhões, porque, mesmo nos países desenvolvidos algumas pessoas não bebem água potável e isso tem um efeito direto na saúde e na agricultura", disse.

Uma vantagem de usar a água da atmosfera é que não há a necessidade de construir um meio de transporte para a água, então não há necessidade de se preocupar com metais pesados em tubulações, ou limpar a água contaminada do solo ou de poluir o planeta com plásticos. Mas, uma aparente complicação aparece quando pensamos sobre a poluição atual do ar: embora um estudo recente feito por pesquisadores da Universidade de Tel Aviv, em Israel, tenha encontrado boas notícias ao descobrir que, mesmo em áreas urbanas como Tel Aviv, a água potável pode ser retirada de acordo com um padrão estabelecido pela OMS, afirma a BBC.

Projeto “Coleta de Icebergs”

Os icebergs em nossos oceanos contêm algumas das águas mais puras do mundo, pois as geleiras das quais eles vêm, foram formadas há milhares de anos. A coleta deste gelo para obter água engarrafada se tornou um grande negócio no Canadá.

Além disso, esses blocos gigantes de gelo no oceano podem ser um perigo para o transporte marítimo e podem prejudicar os ecossistemas marinhos quando grandes volumes de água doce derretem, segundo afirmam alguns cientistas.

A coleta com fins lucrativos começou no Canadá, onde se tornou um grande negócio ao longo da costa leste do país e, hoje, já está sendo usado em outras partes do mundo.

Crisis del agua potable tecnologías iceberg
A coleta de gelo para obter água engarrafada se tornou um grande negócio no Canadá.

O empresário e ambientalista Abdulla Al-Shehi, está trabalhando com o projeto Iceberg dos Emirados Árabes Unidos. "Em média, um iceberg gigantesco pode fornecer água para um milhão de pessoas durante 3 a 5 anos", diz ele.

Porém, o transporte desses blocos de gelo apresenta riscos devido ao seu tamanho: os icebergs podem virar durante a viagem e causar acidentes fatais. Eles também devem ser "empacotados" em material isolante especialmente desenvolvido para reduzir a sua velocidade de fusão até chegar ao destino.

Isto deixa claro que não se trata de um método simples nem barato. “O projeto UAE Iceberg "começará coletando um pequeno iceberg e levando-o a Perth, na Austrália Ocidental ou à Cidade do Cabo na África do Sul, a um custo estimado entre 60 e 80 milhões de dólares, enquanto todo o projeto custaria entre 150 e 200 milhões de dólares", disse o Sr. Al-Shehi.