tempo.com

A bola da Copa do Mundo do Catar 2022 usa inteligência artificial

A bola oficial da Copa do Mundo 2022, que se realiza no Catar, possui tecnologia avançada em seu interior, com uso de inteligência artificial, mas desperta algumas controvérsias desde o início. Saiba mais aqui!

Bola com tecnologia de inteligência artificial
'Al Rihla' é a bola oficial da Copa do Mundo de 2022 no Catar, com sensor interno. Créditos: Adidas.

Seu nome é 'Al Rihla' (que significa 'a viagem'), assim foi batizada a bola utilizada na Copa do Mundo de Futebol 2022 realizada no Catar, fabricada pela empresa alemã Adidas. A tecnologia está presente em cada jogo disputado nesta Copa do Mundo, e na bola dessas partidas também!

A Federação Internacional de Futebol (FIFA) explica que a bola "foi desenhada minuciosamente a partir da compilação de dados e testes rigorosos realizados nos laboratórios da Adidas”.

Foram utilizados túneis de vento e até vários jogadores de futebol (entre eles Lionel Messi), que puderam testar e analisar o desempenho da bola em diferentes campos para terminar a fase de testes.

Tecnologia 'IMU' dentro da bola

A bola 'Al Rihla' contém uma Unidade de Medição Inercial (IMU, em inglês) em seu interior, um sensor que ajuda a detectar posições ilegais quando a situação é duvidosa. A IMU mede e informa a velocidade, orientação e forças gravitacionais de um dispositivo, usando uma combinação de acelerômetros e giroscópios.

O dispositivo envia um pacote de dados 500 vezes por segundo para a sala de vídeo, o que permite detectar com absoluta precisão o momento exato da batida na bola.

Mundial de futebol Catar 2022
A bola contém em seu interior um sensor de Unidade de Medição Inercial (IMU). Créditos: Adidas.
IMU é uma tecnologia já utilizada em aviões, veículos de pouso, espaçonaves e veículos aéreos não-tripulados, como satélites.

A bola conta com a tecnologia CRT-Core, que “é o núcleo da bola e proporciona rapidez, precisão e homogeneidade à mais alta velocidade, com máxima retenção da forma e do ar e rebotes previsíveis”, diz a Adidas.

Confeccionada em couro SPEEDSHELL, feito de poliuretano texturizado com 20 painéis que melhoram a precisão, estabilidade e rotação no ar graças a macro e microtexturas, além de contra-relevo na superfície.

bola da copa do mundo de futebol Catar 2022 com tecnologia de inteligência artificial
O sensor permite detectar com absoluta precisão o momento exato em que a bola é rebatida. Créditos: Adidas.

Além disso, é a primeira bola feita exclusivamente com tintas e colas à base de água (em vez de à base de solvente), o que gera um excelente poder adesivo entre os diferentes painéis, muito bom desempenho, alta flexibilidade e ainda é um pouco mais 'amigável' ao ambiente.

Inteligência artificial para detectar “impedimentos”

Quatro anos se passaram desde a última Copa do Mundo de Futebol e nesse período a tecnologia deu saltos importantes, onde se destaca a inteligência artificial. Essa tecnologia foi aplicada nas câmeras dos estádios sedes do Mundial do Catar 2022, a fim de detectar com mais precisão as situações de impedimento duvidoso, conhecidas como 'offside' ou posição adiantada.

Com a colaboração da Adidas e de vários parceiros, especialmente a 'Força Tarefa de Excelência em Inovação' e seus respectivos fornecedores de tecnologia, a FIFA aperfeiçoou o sistema de arbitragem de vídeo VAR, utilizado na Copa do Mundo Rússia 2018, incluindo agora o uso da chamada tecnologia semi-automatizada para detecção de fora-de-jogo.

Bola com tecnologia de inteligência artificial Messi
Lionel Messi foi um dos jogadores que pôde testar e analisar o desempenho desta bola para a fase de testes. Créditos: Adidas.

Foram instaladas doze câmeras sob a cobertura do estádio, que capturam os movimentos da bola e até 29 pontos de dados de cada jogador 50 vezes por segundo, para calcular suas posições exatas no campo. Os 29 conjuntos de dados coletados incluem os membros e partes do corpo que são levados em consideração para sinalizar um impedimento.

Os dados coletados mais as informações fornecidas pelo chip do interior da bola criam animações em 3D que são transmitidas para os espectadores nos estádios e para os telespectadores. As pessoas podem ver rapidamente uma imagem exata da situação duvidosa.

Este método de inteligência artificial é infalível?

A tecnologia para detecção de impedimento tem um desenvolvimento que permite uma precisão muito alta no processo de inteligência artificial, assim como a FIFA esperava que fosse, e conseguiram tê-la pronta para implementar nesta Copa do Mundo de 2022.

Mas o ponto fraco surge quando uma ferramenta de tecnologia avançada como esta não é implementada corretamente, e é aí que entra a parte 'semi-automatizada' da tecnologia que aplicam.

Mundial de futebol Catar 2022
Lautaro Martinez converte um gol que depois foi anulado. Imagem de @ArchivoVAR

A inteligência artificial, neste caso, é a ferramenta utilizada pelos árbitros para decidir e, consequentemente, dar um veredito final em caso de impedimento duvidoso, portanto ainda estaríamos sujeitos ao erro humano.

Uma amostra disso foi vivenciada recentemente na Copa do Mundo no estádio Lusail, durante o jogo de Argentina vs. Arábia Saudita pela fase de grupos. Ainda no primeiro tempo, o jogador Lautaro Martinez da seleção argentina, converteu um gol que posteriormente foi anulado por ser considerado fora-de-jogo, após o árbitro decidir revisar a jogada duvidosa com o VAR.

A controvérsia surge quando o juiz considera, de forma erra, a defesa saudita como referência para verificar e traçar a linha. Abdulhamid não seria o último homem na linha defensiva, como pode ser visto na imagem completa da defesa; aparece o lateral esquerdo Yasir Al Shahrani. Ainda hoje, o debate nas redes sociais sobre o uso dessa tecnologia segue aberto.