Outono de 2019: o que esperar para este ano?

Hoje o Outono teve o seu início no Hemisfério Sul. Neste ano, a estação de transição estará sendo influenciada pelo fenômeno El Niño. Será que teremos uma estação mais quente em todo o país? E a distribuição das chuvas? Discutimos tudo isso aqui.

Tiago Robles Tiago Robles 20 Mar. 2019 - 08:29 UTC
Hoje o Outono começou. Saiba o que esperar para a estação neste ano. Será que o El Niño vai influenciar bastante?

Nesta quarta-feira (20) se iniciou o Outono no Hemisfério Sul. Na meteorologia essa estação representa uma etapa de transição, com características ainda do verão, com temperaturas elevadas e ocorrência de temporais em boa parte do país. No entanto, nos faz lembrar a chegada do inverno, com aumento da frequência do frio e até de eventuais ocorrências de neve na serra gaúcha e catarinense.

De maneira geral, no Outono, as chuvas passam a migrar das regiões Centro-Oeste e Sudeste para as áreas mais ao sul do país, dando início a estação seca. Condição está mais marcante nos meses de Maio e de Junho. No Nordeste, as chuvas diminuem no interior e na faixa norte da Região, com aumento na faixa leste, que vai do norte da Bahia até o Rio Grande do Norte, o que dá início a estação chuvosa. O mesmo ocorre para as áreas mais ao norte do Brasil, as chuvas voltam a ocorrer de forma mais abrangente já em Abril, no norte da Amazônia, noroeste do Pará e em Roraima.

Com será o Outono de 2019?

Neste ano o fenômeno El Niño passará a influenciar a estação a partir do mês de Maio, mas mesmo assim outros fatores ainda terão uma boa parcela de influência, como as oscilações Antártica e de Madden-Julian. Em vista disso, vamos discutir os cenários de cada mês.

  • Abril: Na primeira quinzena do mês as chuvas se manterão ainda concentradas no Centro-Norte, com chuvas mais abrangentes e volumosas ocorrendo na primeira semana do mês. Já para a segunda metade, o tempo seco passa a predominar em boa parte do país, com chuvas mais concentradas no Sul e no estado do Mato Grosso do Sul. Devido a essa configuração, as temperaturas ficam acima do esperado para boa parte do Brasil e próximo da média nas áreas de maior precipitação.
  • Maio: as chuvas voltam a ocorrer no Centro-Oeste e no Sudeste com maior frequência durante a primeira quinzena do mês, porém acontecem de forma irregular. Já a segunda metade, passa a se notar o início da estação seca e uma condição mais próxima a um cenário de El Niño. Os maiores acumulados são esperados durante para a região que abrange o estado de Santa Catarina, Paraná e metade sul de São Paulo e do Mato Grosso do Sul. As temperaturas ficam acima da média em boa parte do país e próximo do esperado no Rio Grande do Sul.
  • Junho: a estação seca se encontra mais caracterizada. As chuvas já não ocorrem com muita frequência e abrangência na porção central e norte do país. No entanto, para a Região Sul e os estado do Mato Grosso do Sul e de São Paulo, as chuvas ainda ocorrem com certa regularidade. Um fator interessante, é que as água do Atlântico irão favorecer a permanência maior de sistema de frontais e ciclones no Centro-Sul. Em relação às temperaturas, são esperados valores acima do esperado em todo o Brasil, sendo no Rio Grande do Sul uma condição mais próxima da média.
Publicidade