StoreWindows10

Chuvas volumosas e temporais continuam nas regiões CO, SE, N e NE

A Zona de Convergência Atlântico Sul (ZCAS) mantém o tempo instável e chuvoso sobre a metade norte no Brasil. Enquanto isso no Centro-Sul do país o predomínio é de tempo firme.

Tiago Robles Tiago Robles 05 Dez. 2018 - 16:59 UTC
Chuvas volumosas continuam a ocorrer no Brasil. Os maiores volume podem ultrapassar os 200mm no Nordeste e nos estados do TO, GO e MG.

Devido à combinação da oscilação de Madden-Julian e da presença de um ciclone extratropical no oceano, a sudeste do Brasil, as chuvas volumosas e os temporais se mantêm sobre a metade norte do país nos próximos dias. Esse mesmo ciclone também proporciona ventos em direção a costa de São Paulo e do Rio de Janeiro, que transportam umidade do oceano para continente provocando aumento da nebulosidade e chuva fraca.

Previsão do tempo

Nesta quarta-feira (05) chuvas já pela manhã ocorreram no norte do Mato Grosso, de Goiás e de Minas Gerais. No entanto, as chuvas mais intensas e volumosas vem ocorrendo na Bahia, Tocantins, Pará e no sul do Piauí e do Maranhão, com volumes até o momento de até 65mm. Na parte da tarde, as chuvas se tornam mais abrangentes e menos intensas, porém passam a ocorrer na metade norte do Mato Grosso e de Minas Gerais.

No Rio Grande do Sul, devido a uma perturbação na atmosfera provocada pela presença do ciclone, há previsão de pancada de chuva isolada na porção mais central do estado. Pancadas isoladas e de curta duração também ocorrem no norte mato-grossense do sul, no norte e leste paulista.

A mesma condição ocorre no Rio de Janeiro, metade sul de Minas Gerais e dos estados de Goiás e do Mato Grosso. No entanto o destaque fica para o norte mineiro, estado de Tocantins, sul e oeste baiano e sertão nordestino, onde as chuvas ocorrem ao longo do dia e com maior intensidade na parte da tarde. Há potencial para alagamentos e deslizamento de terra, este último nas regiões litorâneas e próximas de encostas.

Na quinta-feira (06) pouca mudança. As chuvas se mantém sobre a metade norte do país, com destaque novamente para a Bahia, Tocantins o sertão nordestino. No Centro-Oeste e em Minas Gerais as chuvas diminuem de intensidade e abrangência. No Sul, a nebulosidade aumenta, mas não há previsão de chuva e o sol ainda predomina, porém, a sensação volta a ficar agradável, devido a atuação de ventos de sul que transportam um ar mais frio para a Região.

Já na sexta-feira (07), com o deslocamento do ciclone e sua frente fria associada para o oceano, as chuvas perdem intensidade no Brasil. No entanto, o tempo instável se mantém ao longo do dia em toda a metade norte com pancadas de chuva ocorrendo de forma mais isolada. Devido ao afastamento do ciclone, uma massa de ar mais fria avança em direção ao Rio Grande do Sul, provocando queda das temperaturas e sensação de frio a partir do fim do meio da tarde até manhã de sábado (07), quando as mínimas voltam a atingir temperaturas abaixo dos 10°C na metade sul do estado.

Quando o padrão muda?

Até meados da próxima semana o tempo instável se manterá na metade norte do país e, o tempo mais firme, predominará nas demais áreas. Na tarde da próxima quarta-feira (12) uma frente fria volta a provocar chuva forte no Sul do Brasil. Esse sistema passa a marcar uma mudança no padrão das chuvas, de retorno da umidade ao Centro-Sul do Brasil e a diminuição das chuvas no norte.

Publicidade