A máfia da areia: o combate pode vir de plástico reciclado

Pode parecer estranho, mas a escassez de areia nos setores de tecnologia e especialmente construção tem alimentado um novo mercado ilegal batizado de “Máfia da Areia” - E parte da solução está partindo da reciclagem de resíduos plásticos.

A máfia da areia: Solução pode vir de plástico reciclado
A escassez de areia para construção e manufatura alimentou grupos ilegais de extração, e parte da solução consiste em reciclar lixo plástico.

A falta de areia parece um dos últimos problemas com os quais deveríamos nos preocupar - Afinal, há quantidades abundantes de areia em desertos e praias ao redor de todo o mundo, incluindo o litoral brasileiro e o sertão. Então, por que deveríamos nos preocupar com isso?

O fato é que cerca de 50 bilhões de toneladas de areia são usadas anualmente em construções ao redor do mundo, e esta quantidade gigantesca não vem das fontes citadas acima - a areia do deserto é muito lisa e a areia da praia tem muito sal, o que torna ambas as fontes inviáveis para construção. Então de onde vem estes 50 bilhões de toneladas de areia anuais?

A resposta é que a areia está sendo dragada de rios, causando danos graves aos ecossistemas de vários continentes. Na realidade, esta prática é tão danosa ao meio-ambiente que vários países têm adotado proibições nos últimos anos, incluindo Índia, Camboja e Vietnã.

As pessoas não compreendem, ou não percebem, que há escassez. (...) Estamos construindo cidades em um ritmo sem precedentes, mas muitos não percebem que a areia também é usada para coisas como telas de smartphones e TVs, painéis solares e outros itens elétricos. - Prof. Shobha Bhatia, Universidade de Syracuse.

Com isso, cada vez mais problemas de abastecimento de areia têm sido registrados em países como China e Índia, onde estão dois dos maiores setores de construção e tecnologia do mundo. Muitas cidades que dependiam desta indústria estão empobrecendo e deixando centenas de milhares de pessoas desempregadas.

Como se não bastasse o problema social gigantesco - ou talvez até como resultado dele - a escassez de areia está alimentando um mercado ilegal de mineração, controlado por gangues criminosas conhecidas como Máfias da Areia. Além da mineração descontrolada causar danos irreversíveis ao meio-ambiente, esses grupos ainda estão ligados a dezenas de assassinatos, incluindo o da jornalista investigativa Jagendra Singh, ocorrido em 2015.

A solução para o problema das Máfias da Areia: Plástico Reciclado

Para tentar reduzir essa crescente demanda de areia, alguns pesquisadores estão utilizando a ciência para buscar alternativas. Entre eles está o Dr. John Orr, da Universidade de Cambridge. Durante suas pesquisas, o cientista descobriu que resíduos plásticos podem ser separados, limpos, triturados e utilizados no lugar da areia.

Mais especificamente, as 15 mil toneladas de lixo plástico que a Índia descarta todo dia podem ser reutilizadas para reduzir o custo e a escassez da areia. A substituição não é total, mas os pesquisadores descobriram que é possível substituir 10% da areia do concreto por plástico, sem alterar a resistência e longevidade do produto final - O suficiente para economizar 820 milhões de toneladas de areia por ano.

Além de representar um golpe severo contra as máfias da areia, a descoberta também ajuda a retirar uma grande quantidade de lixo plástico nas ruas da Índia. E para incrementar ainda mais o processo, há pesquisas sobre outros possíveis substitutos em andamento, como borracha de pneus velhos e vidro esmerilhado.

Apesar das grandes inovações que a pesquisa científica está trazendo para o setor, o Dr. Orr alerta que suas descobertas são apenas medidas temporárias que não devem ser confiadas no longo prazo - Afinal, o ideal é adotar políticas que evitem totalmente o comércio ilegal, como a adoção de um sistema de certificação de origem para a areia.

Além disso, construções costumam ser superdimensionadas e usar muito concreto, de 30% a 50% mais do que o necessário. Há inovações em andamento na arquitetura e na engenharia de edifícios no sentido de reduzir o uso deste material, mas seu ritmo ainda é lento e precisa acelerar.

Em última análise, a areia é apenas um dos pequenos sintomas de um problema muito maior: Não estamos exagerando apenas na extração de areia, mas de tudo que é possível se extrair do meio-ambiente. O esforço para resolver estes problemas deve ser grande, coletivo e envolver desde governos e grandes indústrias até nós mesmos. Cada atitude ao longo do nosso dia conta, desde decidir reciclar uma garrafa até priorizar a compra de produtos sustentáveis. Vamos fazer nossa parte.