tempo.com

Satélites do Projeto Starlink são vistos no céu do Brasil

Nos últimos dias brasileiros avistaram uma série de pontos brilhantes cruzarem o céu ao mesmo tempo! Muitos acreditaram que esses pontos eram OVNIs ou objetos misteriosos, mas na verdade são os mais novos satélites do Projeto Starlink, da empresa SpaceX!

Satélites Starlink
Brasileiros avistaram os mais novos satélites do Projeto Starlink como pontos brilhantes no céu noturno desse final de semana.

Nos últimos dias diversos brasileiros observaram misteriosos pontos brilhantes cruzarem o céu noturno. Sabemos que é possível enxergarmos durante a noite, com céu limpo e pouca poluição visual, objetos celestes cruzarem o céu, como estrelas cadentes, meteoros, satélites artificiais e a estação espacial. Porém, nesses últimos episódios, os pontos brilhantes cruzaram o céu noturno ao mesmo tempo e de forma alinhada, numa espécie de “fila” de pontos brilhantes, algo bem incomum de se ver!

Afinal, o que são esses pontos brilhantes? Esses são os mais novos satélites do Projeto Starlink, do empresário bilionário Elon Musk, dono das empresas Tesla Motors e SpaceX! O Starlink é um projeto em desenvolvimento pela empresa SpaceX que tem como objetivo principal fornecer internet de banda larga de alta velocidade para todo o mundo, principalmente para as regiões onde o acesso à internet não é confiável, caro ou indisponível, a partir de uma constelação de milhares de satélites na órbita da Terra!

Esse ambicioso projeto está se desenrolando em fases, onde a SpaceX lança periodicamente lotes de 60 satélites de baixo custo Starlink, desde o dia 23 de maio de 2019. No dia 22 de abril de 2020 foi lançado o sétimo e mais recente lote de satélites Starlink, a partir do lançamento do foguete Falcon 9. Provavelmente foram esses novos satélites que os brasileiros viram nos últimos dias!

Assim que esses satélites são lançados, eles ainda estão relativamente próximos a Terra, o que os torna mais brilhantes e visíveis a olho nu, além de ficarem em uma espécie de fila indiana. Mas isso só dura 3 ou 4 semanas, pois, com o passar das semanas, eles ganharão altitude, até atingir sua altitude máxima de 550 km, e se dispersarão, cada um seguindo para sua órbita, dificultando um pouco sua observação a olho nu. Nesse link, você consegue monitorar e descobrir quando um satélite Starlink passará pela sua região.

Por enquanto, a SpaceX já tem permissão de lançar 12 mil satélites em órbita, mas esse número pode aumentar para 42 mil, já que a empresa já enviou um pedido a União Internacional de Telecomunicações para colocar mais 30 mil satélites Starlink na órbita da Terra!

O Starlink tem gerado grandes preocupações na comunidade astronômica, já que essa constelação de satélites atrapalham as observações astronômicas. Por refletirem a luz solar a partir de sua superfície e seus painéis solares, principalmente logo após o anoitecer e antes do amanhecer, esses satélites aparecem como pontos muito brilhantes no céu, o que pode confundir cientistas nas observações de estrelas, planetas e outros objetos celestes.

Para tentar minimizar o efeito de brilho de seus satélites, Elon Musk anunciou que a Space X está testando uma espécie de para-sol que possa reduzir a quantidade de luz refletida pelos satélites. Porém, além de refletir luz, esses satélites também emitem frequências de rádio, o que pode atrapalhar a radioastronomia.

De acordo com as projeções feitas por Elon Musk, seriam necessários pelo menos 400 satélites em órbita e funcionando para começar a fornecer uma cobertura pequena de internet, e 800 para oferecer uma cobertura moderada. Com o último lançamento do dia 22 de abril, a rede passou a contar com 420 satélites em operação. A empresa espera lançar o serviço de banda larga nos Estados Unidos e Canadá até o final desse ano e planeja uma implementação global em 2021.