Programa Apollo: 50 anos da chegada do homem à Lua

Nessa semana celebramos um dos maiores triunfos da humanidade: a chegada à Lua. O programa de exploração lunar nas décadas de 60 e 70 representou um verdadeiro impulso de desenvolvimento tecnológico e ampliou os limites da exploração humana do universo. Agora, a meta é ir para ficar!

Carolina Barnez Carolina Barnez 19 Jul. 2019 - 10:46 UTC
Dia 21 de Julho de 1969, Neil Armstrong se tornava o primeiro homem a pisar na Lua. Créditos: NASA

"É um pequeno passo para um homem, um salto gigante para a humanidade". A célebre frase de Niel Armstrong completa 50 anos nesta semana. Dia 21 de Julho de 1969, Armstrong se tornava o primeiro ser humano a pisar na Lua e mudava para sempre a história e as perspectivas de exploração do universo.

Apollo 11 foi lançada em 16 de Julho de 1969, tripulada por Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collins. Com o auxílio do módulo lunar Eagle, Armstrong e Aldrin chegaram à superfície da Lua no final do dia 20 e, deram os primeiros passos em solo lunar na madrugada do dia 21. Armstrong foi o primeiro, seguido por Aldrin após alguns minutos. Os três astronautas retornaram à Terra em segurança no dia 24 de Julho. Apollo 11 foi a 5ª missão tripulada do Programa Apollo (1961-1972), coordenado pela Agência Especial dos Estados Unidos (NASA).

A expedição contou com o suporte de mais de 400 mil profissionais das mais diferentes especialidades: de engenheiros e programadores até costureiras que fizeram o acabamento dos trajes espaciais. Durante esta semana comemorativa, a NASA destacou a importância de toda equipe envolvida no triunfo da viagem à Lua, já que muitas vezes só Armstrong é lembrado. Collins é o único astronauta ainda vivo da missão, justamente o único que não desceu à Lua. Collins foi essencial para missão, já que pilotou o módulo que ficou orbitando a Lua e seria usado para o retorno à Terra, enquanto Armstrong e Aldrin exploravam o solo lunar.

O Legado do Programa Apollo

O Programa Apollo foi criado com o objetivo de colocar o homem na Lua, no contexto da corrida espacial incentivada pelas disputas tecnológicas entre Estados Unidos e Rússia durante a Guerra Fria. O Programa foi encerrado por cortes de verbas por parte do congresso estadunidense, que alegava desinteresse público às missões.

O Programa Apollo deixou um enorme legado de desenvolvimento tecnológicos e conhecimento. Créditos: AFP/Getty

Apesar da suspensão do programa, Apollo foi um marco na exploração espacial e deixou um enorme legado de desenvolvimento tecnológicos e conhecimento. As amostras de solo lunar coletadas durante as missões ainda rendem descobertas científicas nos dias de hoje - todos os anos novos artigos são publicados. Após os passos de Armstrong, foram mais 6 missões bem sucedidas que rederam quilos de amostras e dados para pesquisa lunar: Apollo 12 (1969), Apollo 14 (1971), Apollo 15 (1971), Apollo 16 (1972) e Apollo 17 (1972). Na última, uma placa foi deixada na Lua para marcar o fim do programa: "Aqui o homem completa sua primeira exploração da Lua, Dezembro de 1972 DC. Que o espírito de paz em que ele veio seja refletido na vida de de toda raça humana."

A promessa da NASA é que seus astronautas voltarão à Lua em 2024, e para ficar! A principal meta é liderar um programa de exploração inovativo e sustentável com parceiros comerciais e internacionais para permitir a expansão humana no sistema solar. A Lua servirá como zona de teste para novas tecnologias e recursos que levarão o homem um passo além na exploração espacial, rumo ao seu verdadeiro alvo: Marte!

Publicidade