tempo.com

O gato, a tempestade e o samurai: a lenda do Maneki Neko

Um enfeite de gato dourado é muitas vezes usado na entrada de casas e empresas para atrair boa sorte. Um evento meteorológico deu origem à lenda do Maneki Neko, ou 'gato da fortuna'. Saiba mais aqui!

O gato, a tempestade e o samurai
O gato, a tempestade e o samurai: a lenda de "Maneki Neko"

Na cultura ocidental, os gatos domésticos são excelentes animais de estimação e uma companhia agradável. Para a cultura oriental também são, mas além disso esses felinos são considerados divindades ou entidades protetoras do lar, das plantações e simbolizam boa sorte.

Na cultura japonesa, os gatos são adorados, mas certas superstições fazem com que se tenha medo deles. Hello Kitty e Doraemon são gatos reconhecidos mundialmente, mas há outro que é o protagonista de uma lenda japonesa e da qual muitos desconhecem o seu significado.

A figura do famoso gato dourado que move a pata como se cumprimentasse, é reconhecida como chinesa, mas na realidade sua origem é japonesa. E o gato não está acenando, como esse gesto pode significar no Ocidente. Esse gesto na cultura japonesa equivale a um chamado, um convite para passar.

Os gatos em diferentes culturas

Por volta de 3000 a.C, os gatos já eram animais domesticados no antigo Egito. Eles eram admirados porque caçavam e exterminavam ratos e cobras, eliminando essas ameaças dos lares. Por isso, tornaram-se uma divindade protetora dos lares e uma excelente companhia para as famílias egípcias. De fato, a deusa Bastet era representada por um corpo antropomórfico com cabeça de gato.

A antiga cultura egípcia despertou fascínio entre os gregos, que adotaram parte de sua mitologia e vários de seus costumes, incluindo a companhia de gatos. Perante a recusa dos egípcios em vender-lhes alguns exemplares, os gregos roubaram vários gatos para poderem criar os seus, e depois os gregos os venderam aos romanos, que se encarregaram de os espalhar por todo o Mediterrâneo. Ambas as culturas o adotaram porque eram mais agradáveis e limpos do que outros animais domesticados na época, como mangustos (rato-do-egito) e furões.

Bastet, Shashthi e Bakeneko
À esquerda: Bastet, deusa egípcia com cabeça de gato; no meio: Shashthi, divindade hindu sentada em um gato; à direita: Bakeneko, um gato temível e sobre-humano na cultura japonesa.

A cultura indiana associava os gatos a Shashthi, a protetora hindu das crianças, deusa da fertilidade que antigamente tinha uma aparência felina. Mas, representações mais recentes a fizeram sentada em um gato com várias crianças nos braços. Além disso, pequenas estátuas de gatos eram usadas em casas para manter os roedores afastados.

Para a cultura chinesa, os gatos são considerados símbolos de amor, paz, fortuna e serenidade. Atualmente são considerados como ímãs para atrair boa sorte e fortuna.

Embora os gatos tenham chegado ao Japão com a cultura budista no século VI, há um registro histórico do dia e ano em que os gatos chegaram a este país: 9 de setembro de 999, quando o imperador Ichijō recebeu um gato em seu aniversário. Assim como na China, os gatos sempre foram considerados ímãs de boa sorte e dinheiro.

A cultura japonesa e os gatos

Existem inúmeras lendas, folclore e mitologia relacionadas aos gatos no Japão, muitas vezes na forma de seres de boa sorte, mas também como demônios. Existe o “gato monstro” ou Bakeneko em japonês, um gato com habilidades sobrenaturais que pode roubar a alma dos seres humanos para adquirir sua forma. Eles andam eretos, podem se tornar gigantes e tomar a forma de pessoas comendo carne humana.


Diz a lenda que um gato se transforma em um monstro se for permitido ter uma cauda longa, e é por isso que os gatos no Japão tiveram suas caudas cortadas, por medo de que se transformassem em Bakeneko. Daí a ligação com o bobtail japonês, gato de cauda curta originário daquele país, com uma cauda semelhante à de um coelho.

Kirara e Espeon
Espeon de Pokémon e Kirara de Inuyasha são dois exemplos de Nekomata no anime.

Outros gatos maléficos com poderes sobrenaturais são o “Nekomata”, um gato com cauda bifurcada e aficionado por fogo e o “gotoneko”, uma variante do bakeneko; o “kasha” (servo do inferno), e a “nekomusume” ou menina-gato, entre muitos outros. A maioria são ou foram personagens de anime.

A lenda do Maneki Neko

Tenho certeza que você já o viu muitas vezes. Alguns na entrada de empresas, outros em entradas de casas, como um belo enfeite de estilo kistch, sempre com a pata levantada, como se cumprimentando as pessoas. É o Maneki-Neko, onipresente no negócio de produtos chineses, que na verdade é de origem japonesa. Como toda lenda, tem versões diferentes, mas a mais aceita é a meteorológica:

Reza a lenda que na época dos senhores feudais (século XVII), existia em Tóquio um templo em ruínas devido a graves problemas econômicos. Lá vivia um monge muito pobre que dividia a pouca comida que tinha com Tama, um gato bobtail (aqueles de rabo curto).

Um dia, um samurai de grande fortuna chamado Ii Naokata, foi surpreendido por uma tempestade enquanto caçava perto do templo. Ele se abrigou da forte chuva debaixo de uma grande árvore e lá esperou que a chuva diminuísse e os raios e trovões se acalmassem. Foi então que esse senhor feudal viu que um gato de cores branco, preto e marrom o chamava com a pata, convidando-o a entrar no templo Gotokuji. Quando este senhor se afastou da árvore onde se refugiou para ver de perto um gato tão único, um raio atingiu a árvore que lhe deu abrigo estilhaçando-se em lascas.

templo Gotokuji
Gotokuji: o templo japonês que abriga mais de 10 mil figuras de gatos da sorte e que deu origem à lenda

Grato ao gato por salvar sua vida, o homem rico fez amizade com o pobre monge, encarregou-se dos reparos do templo e doou campos de arroz e terras agrícolas para ele, então o monge e seu gato nunca mais passaram fome. Quando o gato Tama morreu, uma estátua de maneki-neko foi feita para comemorar sua vida, e o local ainda é considerado sagrado até hoje. Esta história é o motivo pelo qual muitas pessoas acreditam que esses gatos são símbolos de boa sorte.

O nome Maneki Neko vem do japonês MANEKI (convidar para passar) e NEKO (gato). Desde então, Maneki Neko significa “gato da fortuna”, e hoje é um popular amuleto de boa sorte.