Meteoro cai próximo à costa do Rio Grande do Sul

Na madrugada de sexta-feira (12/04) foi registrada a queda de um meteoro próximo a costa do Rio Grande do Sul. O objeto trata-se de um bólido, que deixou um extenso rastro luminoso no céu noturno!

Paola Bueno Paola Bueno 15 Abr. 2019 - 18:38 UTC
Uma câmera em Taquara (RS), registrou a queda do meteoro na madrugada do dia 12/04. Foto: Prof. Carlos Fernando Jung/ Bramon.

Na última sexta-feira um meteoro caiu sobre o mar na costa do Rio Grande do Sul, riscando o céu noturno! A queda do meteoro ocorreu durante a madrugada de sexta-feira (12/04), por volta das 3h21 da manhã, e foi registrada por uma câmera do grupo de observação Bramon (Brazilian Meteor Observation Network) na cidade de Taquara, na Região Metropolitana de Porto Alegre.

O meteoro na verdade trata-se de um bólido, um meteoro de grande porte que ao penetrar na atmosfera terrestre se torna muito brilhante, podendo deixar um extenso rastro luminoso. Às vezes, seus aparecimentos são acompanhados por um intenso ruído ou até mesmo de uma explosão. Alguns bólidos que já caíram na Terra produziram crateras enormes na superfície, devido a seu grande impacto, mas esse não foi o caso do bólido registrado no Rio Grande do Sul.

De acordo com o professor Carlos Fernando Jung, responsável pela captura das imagens, esse bólido entrou na atmosfera em uma velocidade de 122.2 mil km/h e com um peso de 12 kg, e, ao entrar em contato com a atmosfera, começou a perder força. Desde o primeiro momento em contato com a atmosfera terrestre ele começou a perder massa e foi totalmente consumido a 36 km de altitude, não atingindo a superfície terrestre e causando nenhum dano.

O brilho, que durou apenas alguns segundos no céu, também foi registrado por câmeras instaladas em Monte Castelo, Santa Catarina e Torres, Rio Grande do Sul. Apesar de ser bem comum a queda de meteoros na Terra, ocorrendo diariamente tanto durante o dia quanto a noite, o registro de uma queda dessa magnitude, tão brilhante e nítida, não é tão frequente.

Qual a diferença entre meteoro, bólido e meteorito?

Antes de explicar a diferença entre esses materiais cósmicos que atingem a Terra durante todo o ano, primeiramente devemos saber a definição de meteoroides. Meteoroides são fragmentos e detritos espaciais de tamanhos variados, antes de entrar na atmosfera terrestre.

Quando eles entram na atmosfera surgem os meteoros e os meteoritos! Os meteoros são as famosas “estrelas cadentes”, ou seja, é o fenômeno luminoso causado pela entrada de objetos espaciais (detritos e fragmentos rochosos) na atmosfera terrestre. Esse fenômeno luminoso é gerado pelo atrito dos meteoroides com as moléculas dos gases que compõe nossa atmosfera. Esse atrito acaba degastando o meteoroide, fazendo com que muitas vezes ele seja completamente consumido antes de atingir a superfície, mas, quando atingem, eles são chamados de meteoritos!

Bendengó, o maior meteorito encontrado no Brasil, resistiu ao incêndio do Museu Nacional em 2018. Foto: Marcio Alves / Agência O Globo.

Já os bólidos, como dito anteriormente, são similares aos meteoros, porém tratam-se de objetos maiores que entram em combustão na atmosfera e geram um rastro muito luminoso.

Uma curiosidade: o maior meteorito a cair em solo brasileiro foi encontrado em 1784 junto ao riacho de Bendengó, no munícipio de Monte Santo, na Bahia, ganhando o nome de meteorito de Bendengó. Com um peso de mais de 5 toneladas, considerado um dos maiores do mundo, e constituído quase inteiramente de ferro, ele foi um dos poucos itens a resistir intacto ao grave incêndio do Museu Nacional, no Rio de Janeiro, no ano passado.

Publicidade