Indonésia usará 'chuva artificial' para combater incêndios florestais

No ano passado, os incêndios na Indonésia devastaram mais de 1,6 milhão de hectares de terra. Antes do pico da estação seca deste ano, o governo indonésio anunciou que implementará 'chuvas artificiais' para evitar a recorrência dos incêndios florestais.

Incêndios na Indonésia
Embora os incêndios florestais sejam comuns durante a intensa estação seca da Indonésia, os incêndios no ano passado foram muito mais graves do que nos anos anteriores.

Em uma tentativa de evitar a recorrência dos incêndios florestais do ano passado que destruíram milhões de hectares de terra, o governo indonésio anunciou que implementará a técnica de “chuva artificial” antes do pico da temporada de secas deste ano.

O ministro do Meio Ambiente e Florestas do país, Siti Nurbaya, disse que as chuvas induzidas pelo homem já foram usadas com sucesso em várias áreas propensas a incêndios. Em uma coletiva de imprensa nesta semana, Siti anunciou que o governo havia colaborado com a Agência de Meteorologia, Climatologia e Geofísica da Indonésia, bem como com a Agência de Avaliação e Aplicação de Tecnologia para desenvolver a chuva artificial.

Embora os incêndios florestais sejam comuns durante a intensa estação seca da Indonésia, os incêndios no ano passado foram muito mais graves do que nos anos anteriores. Os incêndios devastaram mais de 1,6 milhão de hectares de terra e produziram quase o dobro de dióxido de carbono do que as queimadas da Amazônia no Brasil. Grande parte do sudeste da Ásia foi envolvida por uma névoa tóxica, o que levou a um aumento nas doenças respiratórias e também forçou o fechamento de aeroportos e escolas.

Muitos temiam que, devido à atual pandemia do COVID-19, o governo não pudesse intensificar seus esforços para impedir que os incêndios se espalhassem. No entanto, funcionários do governo disseram que tomaram várias medidas para impedir que os incêndios voltem a ocorrer este ano. A Agência de Meteorologia, Climatologia e Geofísica da Indonésia previu que a estação de seca deste ano começará em junho e atingirá o pico em agosto.

Chuva Artificial

A técnica de produzir chuva artificialmente já é muito comentada e utilizada por alguns países como China e Emirados Árabes Unidos. Basicamente, a chuva artificial é a prática de induzir ou aumentar artificialmente a precipitação adicionando agentes externos nas nuvens.

Estes agentes externos podem ser diversos tipos de partículas, tais como: gelo seco (dióxido de carbono sólido), iodeto de prata, sal em pó etc. Esse processo é conhecido como semeadura em nuvem. Essa estimulação é feita por aviões ou foguetes.

O primeiro estágio inclui o uso de produtos químicos para estimular a massa de ar à formar nuvens. Esses produtos químicos absorvem o vapor de água e ajudam no processo de condensação. Produtos químicos como - Óxido de cálcio, composto de ureia e nitrato de amônio ou carbonato de cálcio e cloreto.

No segundo estágio, a densidade das nuvens aumenta. No estágio final, aeronaves sobrevoam nas proximidades da nuvem e despejam os agentes externos que facilitam o crescimento das gotas de água que, posteriormente, precipitam em forma de chuva.