Calorão e tempestades intensas castigaram São Paulo e o Rio de Janeiro

Entre sábado (11/01) e segunda-feira (13/01) diversas cidades dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro experimentaram temperaturas próximas dos 40°C e logo em seguida tempestades intensas com grandes volumes de chuvas que geraram complicações e prejuízos à população.

Paola Bueno Paola Bueno 14 Jan. 2020 - 11:59 UTC
Temporais Rio de Janeiro e São Paulo
Final de semana foi marcado por chuvas volumosas em várias cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Fonte: Divulgação.

O final da semana anterior e início dessa semana foram marcados pelo calor e fortes instabilidades nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Uma forte massa de ar quente atuava sobre a região Sudeste no final da semana, porém, entre sábado e domingo, uma nova frente fria avançou sobre a região. O forte choque térmico entre essa massa de ar quente e a frente fria favoreceram a formação núcleos de tempestades intensas que se espalharam por ambos estados.

Rio de Janeiro

No último sábado (11/01) a cidade do Rio de Janeiro experimentou seu dia mais quente do ano, até então! Diversos termômetros registraram temperaturas próximas de 40°C, a temperatura mais alta foi de 40.2 °C registrada em Guaratiba, Zona Oeste. Já a sensação térmica, ou seja, a temperatura que o corpo humano realmente sente, foi bem mais alta, ultrapassando os 40°C e até mesmo os 50°C em alguns locais. Durante a tarde a sensação chegou a 54.8°C em Santa Cruz, bairro da zona oeste do Rio, 51°C em Guaratiba e 50.7°C no Jardim Botânico.

No domingo (12/01) as chuvas começaram a se espalhar pelo estado. Acompanhadas por ventos fortes, tempestades causaram estragos em Angra dos Reis, Resende, Três Rios e Volta Redonda. Na capital fluminense a chuva chegou durante a noite, mas foi na manhã dessa segunda (13/01) que os maiores acumulados foram registrados. De acordo com o Sistema Alerta Rio, entre as 9h de domingo e 9h de segunda foram acumulados cerca de 65.2 mm no Vidigal, 64.6 mm em Copacabana e 66.8 no Jardim Botânico.

A Rocinha foi uma das regiões mais afetadas, em 24 horas foram acumulados 84 mm, quase metade do acumulado que é esperado para todo o mês, sendo que em apenas 1 hora, entre as 5 e 6 da manhã, caíram 54 mm! Diversos locais registraram alagamentos e árvores caídas, deixando a cidade em estágio de atenção entre as 5h50 e 10h de segunda.

São Paulo

Na baixada Santista, litoral de São Paulo, os termômetros chegaram aos 35°C no sábado, porém com sensação térmica de 43°C. Com esse calor muitos banhistas estavam aproveitando a praia de Pitangueiras, no Guarujá, quando o tempo virou de repente e um vendaval, acompanhado de chuva, levantou areia e carregou muitos guarda-sóis pela praia, provocando muito caos e pânico entre os banhistas.

No domingo as tempestades atingiram o interior e a região metropolitana de São Paulo. Na capital paulista o temporal de domingo a tarde deixou a cidade em estado de atenção para alagamentos. Prejuízos por conta das chuvas também foram registrados em Araraquara, Matão, Ibaté, Artur Nogueira, Campinas, Monte Mor, Piracicaba, Santa Bárbara d’Oeste, Capivari e Americana, onde um veículo foi arrastado e caiu no Rio Piracicaba, o condutor foi resgatado pelos bombeiros.

Em São Carlos o temporal gerou um acumulado de 167.8mm em apenas 3 horas, o maior registrado em 6 anos, de acordo com a Defesa Civil da cidade. Esse grande volume de chuva causou alagamentos e enchentes pela cidade, além de fortes enxurradas, que arrastaram caçambas, veículos, móveis e inclusive produtos do interior das lojas.

Na tarde de segunda (13/01) novos temporais voltaram a ocorrer no interior do estado. Em Presidente Prudente foram registrados 25.4 mm de chuva entre as 17 e 18h, provocando alagamentos e enxurradas fortes em algumas vias da cidade.

Publicidade