Você já viu alguma nuvem rara?

Toda nuvem se forma na presença de umidade, núcleos de condensação (ou de congelamento) e uma temperatura ideal. Porém, algumas nuvens somente se formam em ambientes extremamente específico e isso faz com que sejam verdadeiras relíquias no céu.

Davi Moura Davi Moura 28 Set. 2019 - 12:09 UTC
Nuvens Nacreous sobre o céu de Lamas, San Martin, Peru em Janeiro de 2018. Fonte: David Alvarado.

Apesar da crença popular de que nuvens adotam formatos aleatórios, as nuvens, na verdade, são classificadas de acordo com a altura de sua base e a sua forma. Algumas dessas nuvens são bem comuns no nosso dia a dia, como por exemplo: stratus, cumulonimbus, cumulus, nimbostratus. Porém, em alguns dias específicos e no ambiente certo, nuvens raras surgem no céu.

Algumas nuvens raras já foram confundidas com objetos voadores não identificados (OVNIs), manifestação paranormal e milagres religiosos. Isso porque, além das formas estranhas, muitas vezes essas nuvens se movem de forma diferente ou causam algum fenômeno óptico que chamam a atenção das pessoas.

Mas, quais são as nuvens raras? Uma lista com 7 nuvens extremamente raras foi colocada logo abaixo contendo as características e desenvolvimento. Será que você conhece alguma delas?

Nacreous

Nuvens Nacreous se formam na estratosfera inferior sobre regiões polares (normalmente, relacionadas ao vórtice polar) quando o Sol está logo abaixo do horizonte. A base dessas nuvens podem ser encontradas a partir de 20 km acima do nível do mar. Devido à sua alta altitude e à curvatura da superfície da Terra, estas nuvens são iluminadas por baixo e frequentemente brilham em cores vivas no amanhecer ou anoitecer.

As partículas de gelo que formam nuvens Nacreous são muito menores do que aquelas que formam nuvens mais comuns. Essas partículas menores dispersam a luz de uma maneira diferente, e é isso que cria a aparência luminescente distinta.

Asperitas

Asperitas (anteriormente denominada Undulatus Asperitas) é uma formação de nuvens relativamente raras que aparece como ondas ondulantes. Essas estruturas em forma de onda formam-se na parte inferior da nuvem.

O modo como as nuvens asperitas se formam é um tanto misterioso, mas há muito debate e confusão sobre como as nuvens ondulatórias passam a existir. Supõe-se que sua aparência esteja associada às consequências das tempestades convectivas, embora elas também tenham sido observadas em ambientes relativamente calmos. Uma teoria sugere que elas são formadas quando as nuvens mammatus descem para áreas do céu onde a direção do vento muda com a altura, causando o movimento ondulatório.

Lenticular

Essas nuvens estranhas e de aparência não natural às vezes se formam a favor do vento próximo de colinas ou montanhas. No Brasil, é possível visualizá-las poucas vezes no ano próximo à serra da Mantiqueira, serra Gaúcha e serra Catarinense.

A formação dessas nuvens já foi descrita na literatura: quando o ar sopra através de uma cordilheira, em certas circunstâncias, ele pode montar um trem de grandes ondas estacionárias no ar, a jusante, como ondas se formando em um rio quando a água corre sobre uma obstrução. Se houver umidade suficiente no ar, o movimento ascendente da onda fará com que o vapor de água se condense, formando a aparência única de nuvens lenticulares.

Kelvin-Helmholtz

Um fenômeno extremamente raro em que uma nuvem produz um padrão de onda como ganchos. Estas nuvens surgem quando duas camadas diferentes de ar em nossa atmosfera estão se movendo em velocidades diferentes (um fenômeno conhecido como cisalhamento). Quando a camada superior de ar está se movendo a uma velocidade mais alta que a do nível inferior, ela pode escavar a parte superior de uma camada de nuvem existente para formas ondulações.

Noctilucent

Noctilucent são outro exemplo de nuvens extremamente raras. Elas são compostas por pequenos cristais de gelo, se formam a mais de 60 km de altitude e podem ser vistas no céu noturno, geralmente em noites claras de verão.

Estas nuvens se tornam visíveis após o pôr do sol ao mesmo tempo em que as estrelas mais brilhantes aparecem e geralmente permanecem visíveis após o anoitecer, porque ainda refletem a luz do sol devido à sua altitude. Noctilucent estão acima de qualquer outra nuvem na atmosfera, ocupando a camada conhecida como Mesosfera, e são vistos apenas em latitudes entre 45 ° N e 80 ° N no Hemisfério Norte e latitudes equivalentes no hemisfério sul.

Fallstreak hole

Esta nuvem causa espanto para que vê pela primeira vez. A sua aparência estranha é de algo está “perfurando” o céu. Elas se formam a partir de gotas de água super-resfriadas, água abaixo de 0 ° C, mas ainda não congeladas. Essas gotículas de água precisam de uma pequena partícula, um núcleo, para congelar ou ser resfriado abaixo de -40 ° C. A nuvem fallstreak hole (também conhecido como nuvem de perfuração) se forma quando parte da camada de nuvens forma cristais de gelo que são grandes o suficiente para cair.

Banner

Uma nuvem de Banner é um dos vários tipos diferentes de nuvens classificadas como orográficas. Quando o vento sopra contra uma colina ou montanha, é forçado a levantar. O ar esfria à medida que sobe e o vapor de água dentro dele se condensa para formar uma nuvem. Como o nome indica, essas nuvens se formam em uma camada e permanecem estacionárias, à medida que o vento flui continuamente de uma direção. As áreas ao lado de sotavento da colina geralmente podem ter abrigo, com mais luz do sol, menos chuvas e temperaturas mais altas do que as áreas do lado de barlavento. As nuvens de faixa se formam no lado protegido da montanha.

Publicidade