O que é Oscilação Quase-Bienal?

A Oscilação Quase Bienal é uma variação regular dos ventos que sopram bem acima do equador. Estes ventos são fortes e escoam dentro da estratosfera ao redor planeta. Aproximadamente a cada 14 meses, esses ventos mudam completamente de direção. Mas por que isso é importante?

Davi Moura Davi Moura 11 Maio 2019 - 14:48 UTC
A Oscilação Quase-Bienal é gerada como resultado de perturbações, ou ondas, na troposfera tropical.

A Oscilação Quase-Bienal (QBO) é um dos fenômenos mais notáveis da atmosfera da Terra. Bem acima do equador, na estratosfera, fortes ventos zonais sopram em um circuito contínuo ao redor da Terra. A descoberta da QBO foi identificada pela primeira vez por meteorologistas do Met Office analisando dados de balão meteorológico na década de 1950. O mecanismo por trás da QBO só foi entendido muitos anos depois graças aos cientistas americanos James Holton e Richard Lindzen. Atualmente, a física da QBO é geralmente bem compreendida e está incluída em alguns modelos de computador que ajudam a prever o clima.

A QBO é impulsionada por ondas atmosféricas produzidas por intensos sistemas convectivos tropicais na troposfera. Essas ondas quebram na tênue estratosfera e fornecem uma força para "empurrar" o vento e fazê-lo descer com o tempo. Uma vez que esses ventos de alto nível atinjam a tropopausa, a fase oposta da oscilação se inicia. Demora cerca de 14 meses para cada reversão ocorrer.

Os efeitos da QBO incluem a mistura do ozônio estratosférico pela circulação secundária causada pela QBO, modificação da precipitação das monções e uma influência na corrente de jato. A velocidade dos ventos na corrente de jato pode enfraquecer ou fortalecer de acordo com a direção da QBO. Quando a QBO é de leste, chance de corrente de jato fraco, eventos súbitos de aquecimento estratosférico e invernos mais frios no norte da Europa são mais frequentes. Quando o QBO é de oeste, chance de um jato forte, o inverno é mais ameno com tempestades e fortes chuvas.

De acordo com o Centro Europeu de Previsão de Tempo (ECMWF), embora a física básica da QBO seja bem conhecida, os detalhes quantitativos e os equilíbrios dos diferentes processos ainda são pouco claros. Pior, muitos dos modelos usados para previsão numérica do tempo (NWP) ou modelagem climática são incapazes de produzir um QBO, ou eles produzem um QBO que é muito diferente das observações. Por exemplo, apenas 4 dos mais de 30 modelos usados para o último relatório do IPCC têm algum tipo de QBO.

A má representação da QBO nos modelos de mudança climática significa que ninguém sabe o que acontecerá com a QBO nas próximas décadas - ela permanecerá praticamente inalterada, seu período será prolongado ou mudará radicalmente? O grande interesse da comunidade científica é em obter cada vez mais dados para que este tipo de problema possa ser solucionado no futuro.

Publicidade