tempo.com

Uma parte do estado da Flórida em quarentena por... caracóis gigantes!

E não é um caracol qualquer! O caracol gigante africano é uma espécie particularmente voraz e invasora, sendo considerado uma ameaça à saúde humana e à agricultura local.

Caracol gigante africano
A Flórida está experimentando sua terceira invasão do caracol gigante africano, um animal devastador que é perigoso para os humanos.

Quem teria pensado que um caracol poderia semear tanta discórdia a ponto de colocar em quarentena um município americano? No entanto, foi o que aconteceu no final de junho no condado de Pasco, nos Estados Unidos. Os caracóis gigantes da África são espécimes perigosos porque são muito invasivos e, acima de tudo, comedores.

Em 23 de junho, um jardineiro relatou a presença do gastrópode ao norte de Tampa, no estado da Flórida (Estados Unidos). A crescente população de caracóis fez com que parte da cidade de New Port Richey fosse colocada em quarentena dois dias depois, segundo o jornal LeFigaro.

O Departamento de Agricultura e Serviços ao Consumidor da Flórida (FDACS) lançou uma investigação para determinar o número de indivíduos no condado. As autoridades agiram rapidamente: "Foi lançada imediatamente uma operação de erradicação química, usando pesticidas de metaldeído para tratar o solo".

Esta operação terá que durar 3 anos para garantir que todos os caracóis sejam eliminados. Uma solução obrigatória, pois o molusco pode produzir até 2.500 ovos por ano, o que dificulta a eliminação de sua população. A espécie já invadiu a Ásia.

Este animal é uma ameaça para a saúde humana, bem como para as culturas agrícolas. Esta espécie de caracol, nativa da África Oriental, é "uma das cem espécies mais invasoras do planeta", segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN).

Como o próprio nome sugere, o caracol gigante é um espécime grande: até 20 cm de comprimento e 18 cm de diâmetro quando totalmente crescido. E come muito e muito variado: pode se alimentar de pelo menos 500 tipos diferentes de plantas; suficiente para devastar plantações, jardins e áreas naturais.

E não só isso! Porque se o solo carece de cálcio para a sua concha, o caracol gigante africano não hesita em alimentar-se... nas casas! E mais particularmente estuque e pintura.

Perigo potencial para humanos

Além dos danos materiais, este molusco é perigoso para a nossa saúde. O animal em si não é, mas carrega um "parasita chamado verme pulmonar de rato", que pode transmitir meningite a humanos, de acordo com a diretora de informação pública do FDACS, Christina Chitty. Daí a necessidade de quarentena e a proibição de tocar no caracol sem luvas.

O caracol pode ter um parasita que transmite meningite aos humanos.

Houve duas invasões de caracóis gigantes africanos na Flórida: a primeira em 1969, quando um menino trouxe 3 gastrópodes para sua avó do Havaí, de acordo com a FDACS. Então levou 10 anos para parar a invasão animal.

A última invasão data de 2011. Desta vez no condado de Miami-Dade. O estado da Flórida teve que pagar 24 milhões de dólares pela erradicação, e teve que tratar o solo, também lá, por 10 anos.