Entenda a tempestade de poeira que assustou São Paulo

Uma tempestade de poeira atingiu diversas cidades do interior de São Paulo este fim de semana, assustando moradores que não estão acostumados a ver este tipo de fenômeno na região.

Entenda a tempestade de poeira que assustou São Paulo
Entenda o que causou a tempestade de areia no interior de São Paulo este fim de semana, fenômeno que assustou moradores de diversas cidades. (imagem: divulgação/anônimo)

Moradores de diversas cidades no interior de São Paulo se assustaram neste domingo (26) com a formação de uma tempestade de poeira. A nuvem seguiu no sentido norte do estado, atingindo cidades como Guaíra, Ribeirão Preto, Franca, Orlândia, Jardinópolis e Viradouro.

Conforme a tempestade de areia avançava, moradores sentiram fortes rajadas de vento, que chegaram a velocidades de quase 100 km/h em algumas estações meteorológicas. Após sua passagem, Vários focos de chuva moderada se formaram na região.

O que causou a tempestade de poeira em São Paulo?

Tempestades de poeira são causadas por ventos muito fortes, geralmente produzidos por tempestades. Em regiões secas, os ventos podem levantar partículas do solo para o ar, criando uma tempestade de poeira.

No caso do interior de São Paulo, a região vem de uma longa estação seca onde pouquíssima chuva foi registrada, o que é comum ao longo do Inverno. Com a poeira acumulada ao longo dos últimos meses e terra muito seca, rajadas de vento são capazes de levantar uma grande quantidade de material do solo.

Unindo o solo seco à formação de áreas de instabilidade e tempestades capazes de produzir essas fortes rajadas de vento, o resultado foi a formação de uma grande tempestade de poeira. Após a passagem do fenômeno, várias cidades registraram chuvas moderadas a fortes por conta das tempestades.

Mas além disso, a geografia e a vegetação de uma área também podem torná-la mais propensa a tempestades de poeira. Regiões planas e com pouca vegetação são mais propícias à formação do fenômeno, o que significa que o processo de desmatamento no interior de São Paulo pode estar associado à uma ocorrência mais frequente de tempestades de poeira.

Tempestades de poeira são perigosas?

Os efeitos mais imediatos de uma tempestade de poeira são também os mais destrutivos. A parede inicial de poeira e detritos pode chegar de repente e pegar as pessoas de surpresa, reduzindo a visibilidade e causando acidentes de trânsito.

A tempestade também reduz a visibilidade para pilotos aéreos, causando atrasos e cancelamentos em vôos e aumentando a probabilidade de um acidente. Durante sua passagem, a poeira também pode causar problemas mecânicos em aviões.

Além disso, embora a tempestade não dure mais do que alguns poucos minutos, a poeira pode pairar no ar durante dias ou até meses após sua passagem, acarretando problemas de saúde especialmente para pessoas com asma.

Há previsão de novas tempestades de poeira em São Paulo?

O interior de São Paulo segue em estado de atenção para formação de novas áreas de instabilidade. Como o solo continua seco em boa parte da região, ainda há a possibilidade de novas tempestades de poeira se formarem.

Ao longo do próximo mês, chuvas voltarão a se formar com maior frequência no estado e o solo vai ficar mais úmido, reduzindo a probabilidade desse tipo de fenômeno. Tempestades de poeira não costumam acontecer nas estações mais chuvosas do ano.

O avanço do desmatamento no Estado pode tornar o fenômeno cada vez mais comum nos próximos anos, especialmente durante o período de transição entre o Inverno e a Primavera, já que a degradação do solo está fortemente associada à formação de tempestades de poeira. No entanto, o Brasil ainda carece de estudos específicos para o país.