Condições de tempo na Austrália geram alerta de aranhas venenosas

Depois de lidar com incêndios catastróficos, inundações e tempestades de granizo, os australianos estão sendo advertidos a tomar cuidado com uma das aranhas mais mortais do mundo, devido ao que os especialistas chamam de "condições perfeitas" para o aracnídeo prosperar.

Davi Moura Davi Moura 24 Jan. 2020 - 12:10 UTC
Aranhas mortais na Austrália
As aranhas Atrax Robustus são capazes de matar um ser humano em poucos minutos.

A Austrália foi devastada pelos piores incêndios florestais vistos em décadas. Pelo menos 28 pessoas morreram em todo o país, mais de 3.000 casas foram destruídas apenas em Nova Gales do Sul e estima-se que mais de um bilhão de animais foram mortos. Tempestades severas ofereceram algum alívio na semana passada, mas também criaram inundações. Partes do sudeste da Austrália também foram atingidas por pedras do granizo do tamanho de bolas de golfe. Porém, parece que a sequência de catástrofes na Austrália ainda não acabou.

Como consequência das chuvas recentes seguidas de dias quentes, as aranhas Atrax robustus iniciaram um ciclo de proliferação. As Atrax Robustus, também conhecidas como aranha-teia-de-funil, são consideradas as mais perigosas do mundo. A aranha é noturna e extremamente sensível à luz solar. As fêmeas não se movimentam muito e, geralmente, esperam que os machos saiam de suas tocas e as encontrem para procriar, mas isso é uma má notícia, porque são os machos que são perigosos.

As aranhas Atrax Robustus moram no solo, o que significa que não podem escalar superfícies lisas como plástico ou vidro. Suas mordidas são dolorosas, têm marcas claras de presas e são capazes de causar doenças graves ou morte em humanos se não forem tratadas. Se mordidos, os especialistas aconselham as vítimas a imobilizar a área afetada, colocar um curativo e procurar atendimento médico imediato. Entre 30 e 40 pessoas são picadas por aranhas a cada ano na Austrália.

Um antídoto para a picada de aranha na teia do funil foi desenvolvido e disponibilizado em 1981. Porém, em setembro de 2012, os estoques dos medicamentos acabaram e as organizações começaram a pedir à população que capturassem as aranhas para que o veneno fosse extraído afim de obter o antídoto. Por isso, juntamente com o alerta de perigo, também foi emitido um alerta para a captura dessas aranhas que só deve ser realizado por adultos devido aos riscos.

Os locais que sofreram enchentes recentemente tem um alerta especial, pois a aranha Atrax Robustus pode sobreviver cerca de 24h na água. Dessa maneira, as aranhas podem ter sido transportadas pelas águas por muitos quilômetros.

Publicidade