Ciclone tropical em Madagáscar: condições favoráveis no Índico

A interação entre a Oscilação Madden-Julian e o Dipolo do Oceano Índico pode favorecer a formação de um ciclone tropical na região de Madagáscar. Esta previsão do modelo ECMWF está sendo válida para a próxima semana.

Bruno César Capucin Bruno César Capucin 01 Dez. 2019 - 12:32 UTC
Possível ciclone tropical na região de Madagáscar na próxima semana.

Complexas interações do sistema climático estão ocorrendo do outro lado do mundo. Enquanto a fase positiva do Dipolo do Oceano Índico (DOI) está em vigor, a fase 1 da Oscilação Madden-Julian (OMJ) também está em desenvolvimento nesse oceano.

O sistema climático da Terra é dito caótico, devido as complexas interações entre diversos processos de escalas temporais e espaciais diferenciadas. Com relação aos fenômenos que superam a escala dos transientes (ex: perturbações sinóticas associadas com as frentes), estes são denominados variabilidade de baixa frequência e são de escala planetária. Contudo, a variabilidade de baixa frequência ainda pode ser separada em intrasazonal (10-100 dias) que ocorre dentro de uma estação, interanual (1-10 anos), intercadal (mais de 10 anos) etc. A OMJ é o exemplo mais clássico de um fenômeno de escala intrasazonal, enquanto que para a escala interanual é o El Niño Oscilação Sul (mesma escala do DOI).

Por se tratar de oscilações, os meteorologistas frequentemente analisam os índices que medem as fases em que esses fenômenos se encontram. E qual seria a importância de se monitorar isso? A importância está no fato de que esses fenômenos alteram a circulação de escala global, modulando padrões anômalos de temperatura e precipitação em regiões remotas (teleconexão).

A fase 1 da OMJ corresponde a convecção favorecida ao norte de Madagáscar, região em que se encontram as águas quentes (acima da média) no Índico devido a fase positiva do DOI. Logo, é possível atribuir que os padrões térmicos da oscilação do Índico estão auxiliando os movimentos ascendentes e a convecção da OMJ na parte ocidental da bacia, como já tem sido observado.

Uma das assinaturas clássicas da perturbação no campo de vento gerada pela OMJ, são duas áreas de baixa pressão na região equatorial do globo, uma em cada hemisfério, além de ventos anômalos de oeste entre elas. Essas características estão atendidas atualmente a leste do continente africano, ao norte de Madagáscar. Em muitos casos, as baixas pressões induzidas pela OMJ se tornam ciclones tropicais, tanto no oceano Índico como no Pacífico Ocidental. Algumas previsões indicam que isso pode acontecer no Índico ocidental.

Os dois principais modelos numéricos globais ECMWF e GFS, estão apresentando cenários diferentes tanto para a rota quanto para a intensidade das baixas pressões formadas pelo OMJ. No entanto, o ECMWF sinaliza um cenário potencialmente mais perigoso, com a baixa pressão ao norte de Madagáscar (INVEST 91S) podendo se transformar num ciclone tropical nas águas do canal de Moçambique. A previsão do ECMWF no momento, sugere que o ciclone pode pairar em alguma região da costa ocidental de Madagáscar no próximo fim de semana. Mas até lá, novas atualizações podem desfazer esse cenário.

Publicidade